Conecte-se connosco

Saúde

Jaime Ramos alega que utentes mais dependentes são discriminados nos lares

Publicado

em

A Fundação ADFP escreveu, esta semana, à ministra da Saúde dizendo que as “exigências impostas” aos visitantes dos lares “contrastam com a permissividade para saídas dos utentes por período inferior a 24 horas”.

Em carta enviada a Marta Temido, a cujo teor NDC teve acesso, o médico Jaime Ramos adverte a governante de que, perante as normas da Direção-Geral de Saúde, há “imensos utentes e familiares descontentes com a evidente incoerência”.

“Os residentes mais dependentes vêem as suas famílias sujeitas a exigências que destoam das facilidades concedidas às dos utentes mais aptos a breves escapadelas dos lares”, escreve o médico.

Segundo Jaime Ramos, quem quiser visitar um residente num lar impedido de dele sair tem de possuir teste negativo, mas a quem for buscar um utente para, por exemplo, o levar a um café, não é exigido teste.

“Se a saída for por período inferior a 24 horas, o utente pode regressar sem ter de acatar quaisquer exigências”, acentua o presidente da Fundação – Assistência, Desenvolvimento e Formação Profissional, de Miranda do Corvo. “Se o residente for autónomo”, conclui o médico, “sai, e regressa quando quer, num horizonte de 24 horas, sem exigências”.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link