Economia

Isabel Camarinha: A primeira mulher à frente da CGTP termina o mandato

Notícias de Coimbra com Lusa | 2 meses atrás em 23-02-2024

A primeira mulher eleita secretária-geral da CGTP, Isabel Camarinha, deixa hoje o cargo, por ter atingido o limite de idade, após um mandato de quatro anos marcado pela pandemia e pelo aumento do custo de vida.

PUBLICIDADE

Com 63 anos de idade, Isabel Camarinha deixa hoje a liderança da CGTP no XV Congresso da Intersindical, que se realiza no Seixal (distrito de Setúbal) hoje e sábado, porque atingiria a idade da reforma num novo mandato, o que não é permitido pelas regras internas da central sindical.

A sindicalista foi eleita secretária-geral da CGTP em fevereiro de 2020 e, no mês seguinte, foi decretada no país a pandemia de covid-19, que gerou dificuldades na atividade sindical, numa altura em que era preciso assegurar que os trabalhadores tinham garantidos os seus direitos e as condições de saúde e segurança.

PUBLICIDADE

publicidade

O início da guerra na Ucrânia, a elevada inflação e o aumento do custo de vida marcaram os anos seguintes do mandato, numa altura em que a CGTP exigiu nas ruas e nos locais de trabalho aumentos salariais superiores à inflação, num contexto político marcado por duas dissoluções da Assembleia da República.

“Todos os mandatos têm as suas dificuldades, até porque a vida dos trabalhadores, toda esta realidade da exploração dos trabalhadores obriga sempre a uma grande intervenção, uma grande ação por parte dos sindicatos da CGTP, mas este mandato, de facto, teve algumas características diferentes de qualquer outro”, disse Isabel Camarinha em entrevista à Lusa, publicada na terça-feira.

PUBLICIDADE

Isabel Camarinha, que começou o seu percurso sindical há mais de 30 anos, diz que vai continuar na luta por melhores condições de vida e de trabalho no Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços (CESP), do qual é dirigente desde 1991.

No plano profissional, Camarinha é técnica administrativa no Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local (STAL) desde 1981, tendo também trabalhado em outras estruturas sindicais.

“Foi uma vida dedicada aos trabalhadores e à defesa dos seus direitos e interesses”, realçou a sindicalista à Lusa.

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE