Região

INOVA-EM apresenta novo projeto de biorresíduos

Notícias de Coimbra | 1 mês atrás em 22-06-2024

“Gestão de Resíduos: Desafios, Soluções e Experiências” foi o tema do XIV Encontro Nacional de Gestão de Resíduos, organizado pela APEMETA – Associação Portuguesa de Empresas e Tecnologias Ambientais, em parceria com a ESGRA – Associação para a Gestão de Resíduos e com a Universidade Lusófona. 

PUBLICIDADE

O vice-presidente da Câmara Municipal de Cantanhede e administrador da INOVA-EM, Pedro Cardoso, participou na sessão que decorreu no auditório da Universidade Lusófona, em Lisboa, tendo apresentado o projeto de gestão de biorresíduos em Cantanhede.

Na ocasião, o presidente do Conselho de Administração da empresa municipal apresentou o processo de implementação da operação “Cantanhede Recicla – Recolha Seletiva de Biorresíduos” e a campanha “Valorizar Sempre até à última… casca, espinha, folha, migalha…”, enunciando os ganhos, constrangimentos, dificuldades e as perspetivas e preocupações futuras. 

PUBLICIDADE

“Apesar do caminho trilhado ser bastante positivo, estamos ainda muito longe das metas que ambicionamos e desejamos alcançar, e por isso já estamos a preparar novas estratégias. Ainda assim, não deixa de ser relevante que no universo dos 36 municípios da área de intervenção da ERSUC [empresa pública supramunicipal que gere a recolha, tratamento e valorização dos resíduos sólidos na região Centro], o Município de Cantanhede esteja a contribuir com cerca de 30% dos biorresíduos rececionados pela entidade gestora em Alta”, referiu.

O testemunho desta experiência positiva não apaga ou minimiza as grandes preocupações sobre os biorresíduos em termos futuros.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

“As metas definidas pela Agência Portuguesa do Ambiente nesta matéria são demasiado ambiciosas e praticamente inatingíveis. Só com um grande esforço e elevados investimentos financeiros se conseguirá atingir taxas de recolha satisfatórias. Neste momento um dos grandes problemas é a questão da sustentabilidade financeira”, complementou Pedro Cardoso, para quem é necessária “uma mudança urgente do modelo de governança, da legislação e uma melhor articulação entre o sistema em alta e baixa”.

“Não podem ser apenas os munícipes, com as taxas que pagam, e os municípios/empresas municipais a suportar os custos, enquanto os lucros ficam para o sistema em alta e os agentes económicos”, criticou.

O encontro, que contou na sessão de abertura com a presença do secretário de Estado do Ambiente, Emídio Sousa, dividiu-se em quatro painéis: Painel I – Uma Visão sobre o Setor; Painel II – As Entidades Gestoras e o Desafio das Embalagens não declaradas;  Tecnologias & Serviços para o Setor dos Resíduos – Pitch Tour pelos Stands; Painel III – O Estado da arte da Recolha de Biorresíduos – testemunhos e experiências; Painel IV – Oportunidades de Financiamento do Setor – que possibilidades existem face às necessidades de investimento?

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE