Conecte-se connosco

Crimes

Identificados seis suspeitos do furto alfarroba no Algarve

Publicado

em

Seis homens entre os 20 e os 62 anos foram identificados na segunda-feira por suspeitas de furto de 360 quilogramas de alfarroba em Almancil, no concelho de Loulé, distrito de Faro, anunciou hoje a Guarda Nacional Republicana (GNR).

Os suspeitos foram identificados no seguimento de uma denúncia por furto de alfarroba no interior de uma propriedade em Almancil, tendo sido encontrados pelos militares da GNR na posse de “cerca de 360 quilos de alfarroba, com um valor estimado de 900 euros”.

No âmbito da ação policial, os seis homens foram constituídos arguidos e foram apreendidas “12 sacas com 360 quilos de alfarroba”, na freguesia de Almancil, indicou a GNR, referindo que os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Loulé.

Ainda segundo a GNR, “o material recuperado foi entregue ao seu legítimo proprietário”.

Na sexta-feira, cerca de 200 produtores de alfarroba do Algarve concentraram-se em Loulé para exigir ao Governo “mecanismos que permitam controlar” os circuitos de comercialização para acabar com os roubos “quase diários” do fruto nas explorações.

Na concentração, convocada pela cooperativa AGRUPA, a única associação de produtores de alfarroba e amêndoa do Algarve, que decorreu junto à Câmara de Loulé, os agricultores “exigiram que seja promulgada uma lei” na sequência da proposta apresentada por um grupo de trabalho no âmbito do plano de ação contra os furtos de citrinos, abacates e alfarroba.

O número de apreensões de alfarroba furtada no Algarve duplicou face ao ano passado, tendo sido apreendidas na região, desde janeiro, cerca de oito toneladas daquele fruto, de acordo com dados da GNR revelados à Lusa.

O valor comercial deste fruto – uma arroba (15 quilos) ultrapassa os 40 euros, quando há quatro anos era cinco euros -, faz com que seja o principal alvo de furtos em propriedades agrícolas da região, tendo sido já registadas várias apreensões, apesar de a apanha decorrer, habitualmente, até setembro.

Segundo dados do comando territorial de Faro da GNR, entre 01 de janeiro e 21 de julho deste ano, registaram-se no Algarve um total de 16 apreensões de alfarroba – o dobro face ao mesmo período de 2021 -, tendo sido detidas cinco pessoas e identificadas 39. No mesmo período do ano passado não houve detenções e foram identificadas apenas seis pessoas.

Também nesse período, em 2021, a GNR tinha registado 20 denúncias por furto de alfarroba, número que aumentou, este ano, para 73.

No entanto, no ano passado, por esta altura, a quantidade de alfarroba apreendida (12 toneladas) ultrapassou a quantidade apreendida este ano (oito).

De acordo com aquela polícia, o aumento do número de denúncias pode estar relacionado “com o facto de o fruto ter amadurecido mais cedo, assim como para a existência de uma maior sensibilização para a denúncia deste tipo de crime, motivada também pelo aumento do preço do produto”.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade