Conecte-se connosco

Região

IC6: PSD de Oliveira do Hospital diz que caiu “a máscara dos protagonistas e eleitos socialistas”

Publicado

em

O Governo assegurou que cinco projetos rodoviários deixaram de contar com financiamento do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), mas que serão executados “com recurso a financiamento nacional” por ser essencial a sua implementação, entre os quais a continuação do IC6 entre Tábua (Coimbra) e Folhadosa (Guarda). O PSD de Oliveira do Hospital aponta falhas à gestão autárquica por consequentes atrasos no prolongamento do troço.

Já em fevereiro de 2021 a Infraestruturas de Portugal (IP) lançou um concurso público para a elaboração do projeto de execução do troço do IC6. O projeto pretendia englobar o prolongamento do troço existente do IC6 (Catraia dos Poços/Venda de Galizes), com início após o nó de ligação de Tábua e término no nó de Folhadosa (concelho de Seia), com ligação à EN17.

Na sequência dos consecutivos adiamentos da execução do prolongamento do IC6, o PDS comunica em nota de imprensa que a questão do IC6 é apartidária e que será do interesse de todos que seja concluído, independentemente de qual o governo que o venha a realizar.

“Em 2006, o então secretário de estado Paulo Campos, garantiu que o “IC6 arranca em 2007” e que quando chegou ao governo o IC6 não tinha sequer projeto de execução. 15 anos depois ainda não tem”, esclarece a Comissão Política de Secção de Oliveira do Hospital do PSD.

Acrescenta que o atual presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital foi eleito sob a bandeira da conclusão do IC6, prometendo mesmo que se demitiria caso não fosse cumprida essa promessa. Fez depender a sua recandidatura da conclusão desta obra. Mas recandidatou-se duas vezes, sem que esse itinerário tivesse avançado, ou sequer tivesse havido qualquer garantia da sua execução.

Em comunicado o PSD refere que em 2017, em campanha eleitoral autárquica, fez uma conferência de imprensa em conjunto com outros autarcas, onde deu como garantida a conclusão do IC6, “Está assumido”, eram estas as suas palavras naquela data.

“Na última Assembleia Municipal o PSD apresentou uma moção para corroborar e reforçar o interesse de todo o Município na conclusão desta obra. Como resposta o Presidente do Município e a Presidente da Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital, declararam que essa moção não deveria ser aprovada, pois poderia deitar por terra as negociações já realizadas com o Prof. José Carlos Alexandrino, enquanto Presidente do Município e também enquanto Presidente da CIM de Coimbra, redundando no chumbo dessa moção com os votos contra dos eleitos do PS. Ou seja, se Oliveira do Hospital é diretamente excluída pelo desaparecimento do IC6, também toda a região tem fortes razões de queixa e de protesto. Onde tem estado José Carlos Alexandrino, como Presidente da câmara e como Presidente da CIM-Região de Coimbra?”, questiona o PSD de Oliveira do Hospital.

A Comissão Política de Secção de Oliveira do Hospital do PSD conclui assim que “cai a máscara dos protagonistas e eleitos socialistas em Oliveira do Hospital, que 12 anos depois e com um governo da mesma cor política, não conseguiram impor um projeto de elevada relevância estratégica para o concelho e para a região”.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade [video width="1280" height="1280" mp4="https://www.noticiasdecoimbra.pt/wp-content/uploads/2020/11/banner-NDC-radioboanova.mp4" loop="true" autoplay="true" preload="auto"][/video]
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com