Mundo

Homem mais velho de Cuba morreu aos 120 anos

Notícias de Coimbra | 3 anos atrás em 12-06-2021

Emilio Duanes Duvarcer, considerado o ancião de Cuba, que teve 13 filhos, 36 netos e mais de 40 bisnetos, morreu aos 120 anos de pneumonia, segundo revelou na sexta-feira a comunicação social local.

PUBLICIDADE

Segundo o blogue ‘Diario Mineño’, da autoria de jornalistas da radio local ‘La Voz de Bayatabo’, o homem morreu na quinta-feira em Minas, uma localidade de 38 mil habitantes na província de Camaguey, no leste da ilha de Cuba.

“O homem manteve-se de boa saúde durante todos estes anos graças à sua dieta, que sempre seguiu, e aos cuidados da sua família, mas morreu de uma pneumonia súbita, após ter ficado um ano acamado devido a uma fratura da bacia”, acrescentou, citado pela agência AFP.

PUBLICIDADE

publicidade

Nascido em 10 de maio de 1901, em Ocap, no Haiti, Emilio Duanes Duvarcer emigrou para a Venezuela aos nove anos com uma tia, antes de se mudarem para Cuba três anos depois.

Durante a revolução de Fidel Castro, Duvarcer já tinha perto de 60 anos.

PUBLICIDADE

De acordo com os seus documentos de identificação, Emilio Duanes morreu com idade superior ao atual ancião da humanidade, o japonês Kane Tanaka, de 118 anos, nascido em 02 de janeiro de 1903.

No entanto, devido à falta de documentos que atestem a sua data de nascimento, não é reconhecido como um dos homens mais velho no mundo.

Com uma população de 11,2 milhões de habitantes, Cuba é o segundo país com pessoas mais velhas na América Latina, a seguir ao Uruguai, marca que deve superar na próxima década, segundo os especialistas.

A ilha tem 2.070 centenários e expectativa de vida é de 79,5 anos, números semelhantes aos de um país desenvolvido, quando o salário mínimo é de apenas 87 dólares (cerca de 72 euros) por mês.

Este país conta com um grande número de médicos e um sistema de saúde gratuito.

 

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE