Conecte-se connosco

Portugal

Hoje é notícia…

Publicado

em

Cerca de 90 mil pessoas são hoje chamadas a ser vacinadas com a dose de reforço contra a covid-19, por irem integrar as 16.400 mesas de voto nas eleições legislativas de 30 de janeiro ou serem funcionários das juntas de freguesia.

Segundo um comunicado conjunto do Ministério da Saúde e do Ministério da Administração Interna divulgado na quinta-feira, a vacinação no dia de hoje fica dedicada a este universo, “convocado por SMS, através de agendamento central”.

Para as pessoas elegíveis que não recebam a mensagem, haverá senhas digitais, mediante a apresentação de um documento comprovativo das funções em causa.

Estão previstas 16.427 mesas de voto para estas eleições, das quais 2.606 no dia do voto antecipado em mobilidade.

As eleições legislativas decorrem em 30 de janeiro, mas os cidadãos recenseados podem votar antecipadamente, no dia 23 de janeiro, numa mesa de voto em mobilidade escolhida por si, desde que o requeiram, o que pode ser feito através do portal www.votoantecipado.mai.gov.pt, entre 16 e 20 de janeiro.

O Governo prevê que nas eleições haja um número de cidadãos confinados semelhante ao das últimas presidenciais, cerca de 380 mil.

Hoje, também é notícia:

CULTURA

O Museu do Abade de Baçal, em Bragança, escolheu Nadir Afonso e um coletivo de artistas locais para relançar, hoje, o programa de exposições temporárias interrompido pelas contingências da pandemia de covid-19.

O museu apresenta, a partir de hoje, duas novas exposições temporárias: “Horizontes”, do pintor Nadir Afonso (1920-2013), e “Invasões”, de um coletivo de artistas de Bragança composto por Ana Pascoal, António Santos, Carlos Costa, Duarte Saraiva, Jacinta Costa, João Ferreira, José Luís Benites, Miguel Moreira e Silva, Octávio Marrão e Ofélia Marrão.

A exposição de Nadir Afonso é inaugurada com mais de um ano de atraso, porque estava prevista para assinalar o centenário do nascimento do artista, mas foi adiada pelas restrições da pandemia.

A exposição de Nadir Afonso pode ser visitada até ao final de março no museu situado na zona histórica de Bragança, e a do coletivo de artistas permanecerá até ao final de abril.

DESPORTO

O Benfica recebe hoje o Moreirense, em jogo da 18.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, podendo aproximar-se provisoriamente de FC Porto e Sporting, rivais na luta pelo título, que estão à sua frente na classificação.

À entrada para a segunda volta, o Benfica está a sete pontos do líder FC Porto e a quatro do campeão Sporting, que apenas jogam no domingo, nos terrenos de Belenenses SAD e Vizela, respetivamente.

O Benfica, terceiro classificado, recebe o Moreirense, 15.º, num encontro em que os dois treinadores, o benfiquista Nélson Veríssimo e o ‘cónego’ Ricardo Sá Pinto, procuram a segunda vitória pelos clubes.

A segunda volta da edição 2021/22 começa com uma receção do Boavista, que é 10.º classificado e não perde há três encontros, ao Gil Vicente, que, surpreendentemente, ocupa o quinto lugar.

O Sporting de Braga procura consolidar o quarto lugar, na receção ao Marítimo, nono posicionado e que, pela primeira vez esta temporada, conseguiu duas vitórias consecutivas.

ECONOMIA

O regime de teletrabalho obrigatório, decretado pelo Governo no final de dezembro de 2021 devido ao agravamento da pandemia de covid-19, termina hoje, voltando a ser recomendado para todas as empresas, confirmou o Ministério do Trabalho.

“Depois do dia 14, a adoção do teletrabalho passa a ser apenas recomendada para os trabalhadores que exerçam as suas funções a partir de casa, em todo o mesmo território, sempre que as funções em causa o permitam nos termos do Decreto-Lei n.º 79-A/2020, de 01 de outubro, na sua redação atual”, disse fonte oficial do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

A recomendação da adoção do teletrabalho “é para todas as empresas”, afirmou a mesma fonte à Lusa.

Por seu lado, o teletrabalho continua obrigatório no caso dos trabalhadores imunodeprimidos, trabalhadores com deficiência e grau de incapacidade superior a 60% e pessoas com dependentes a cargo que sejam doentes de risco e tenham de assistir às aulas à distância.

A adoção do teletrabalho volta a exigir o acordo entre empregador e trabalhador, conforme estabelece o Código do Trabalho.

Também as alterações ao teletrabalho aprovadas no parlamento no final de 2021 e que entraram em vigor em 01 de janeiro de 2022 devem ser respeitadas.

Com as novas regras, no caso de a atividade ser compatível com o teletrabalho e desde que haja meios, “uma proposta de acordo feita pelo trabalhador só pode ser recusada pelo empregador por escrito e com indicação do fundamento da recusa”, refere o advogado de Direito do Trabalho Pedro da Quitéria Faria.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link