Mundo

Habitantes retirados de vila islandesa devido a erupção vulcânica regressam a casa

Notícias de Coimbra com Lusa | 2 meses atrás em 20-02-2024

Os residentes de uma vila de pescadores no sudoeste da Islândia, retirados após várias erupções vulcânicas, foram esta segunda-feira autorizados a regressar a casa, adiantou a polícia islandesa.

PUBLICIDADE

Os cerca de 4.000 residentes de Grindavik, na península de Reykjanes, no sudoeste da Islândia, foram retirados em 11 de novembro, depois de centenas de terramotos danificarem edifícios e abrirem enormes fissuras nas estradas.

Os terramotos foram seguidos pela abertura, em 14 de janeiro, de uma fissura nos limites da aldeia, que fez escorrer lava para as ruas e reduziu três casas a cinzas.

PUBLICIDADE

Em 08 de fevereiro, ocorreu uma terceira erupção perto da vila, liberando aproximadamente quinze milhões de metros cúbicos de lava nas primeiras sete horas.

A lava desta terceira erupção destruiu uma importante conduta de água quente, que também é utilizada para aquecer casas, na parte sul da península de Sudurnes, onde vivem cerca de 28 mil habitantes.

PUBLICIDADE

Na segunda-feira, o chefe da polícia de Sudurnes, Ulfar Ludviksson, disse que os residentes e as pessoas que trabalham na aldeia eram livres para regressar e poderiam permanecer lá o tempo que quisessem.

O responsável acrescentou que aqueles que regressaram à aldeia o fizeram “por sua própria conta e risco” e que “não era um lugar para crianças”.

A Islândia abriga 33 sistemas vulcânicos ativos, o número mais alto da Europa. Este está localizado na Dorsal Meso-Atlântica, uma fenda no fundo do oceano que separa as placas tectónicas da Eurásia e da América do Norte e causa terremotos e erupções.

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE