Conecte-se connosco

Coimbra

Há assédio sexual na Universidade de Coimbra? (com vídeo)

Publicado

em

A Associação Académica de Coimbra deu esta manhã uma conferência de imprensa para tornar pública a sua posição sobre os casos de assédio sexual expostos nos últimos dias. Aos jornalistas, o presidente interino, Daniel Aragão, disse que não há conhecimento de queixas formalmente apresentadas, mas que existem na Universidade de Coimbra (UC) mecanismos para responder e apoiar vítimas, garantindo o sigilo.

“O assédio ocorre em diversos locais sendo um deles o meio académico, tendo consciência desta realidade a Associação Académica de Coimbra vem deste modo declarar o repúdio de qualquer caso e abertura total para acompanhar e encaminhar  todos e todas”, afirmou Daniel Aragão, confirmando que a estrutura “não possui dados formalmente reportados”.

“Estamos acompanhados de estruturas e entidades competente disponíveis para receber encaminhar e acompanhar todos os que precisem, desde os núcleos de estudantes, à linha SOS Estudante, à Secção de Defesa dos Direitos Humanos, ao Gabinete de Apoio ao Estudantes online e presencial”, sustentou o presidente.

Para os estudantes, cada situação reportada “tem de ser tratada de forma séria e responsável” e, nesse sentido, têm vindo a ser feitas “campanhas de prevenção sobre assédio para que todos conheçam os mecanismos existentes e se sintam seguros em recorrer aos mesmos”.

Contacta pelo Notícias de Coimbra, fonte da reitoria garante que “no período 2018-2022, até à data, foram registadas na UC três sinalizações, de estudantes do sexo feminino, para comportamentos que poderiam eventualmente ser enquadrados como assédio sexual e que mereceram o devido tratamento interno, com vista ao apuramento dos factos, não tendo logrado comprovar-se a ocorrência de assédio sexual”. 

A mesma fonte sustenta que “a Universidade de Coimbra está particularmente atenta e sensível às problemáticas do assédio moral e sexual em contexto universitário, encetando esforços no combate a estas situações, nomeadamente através da elaboração da Carta de Princípios para a Igualdade, Equidade e Diversidade da UC e do Plano para a Igualdade, Equidade e Diversidade da UC ([email protected])”. É ainda acrescentado que “os estudantes da UC têm ao seu dispor mecanismos que lhes permitem reportar os casos de assédio aos Diretores das Unidades Orgânicas [Faculdades], com competência delegada em matéria disciplinar, dispondo ainda da possibilidade de denúncia junto do Provedor do Estudante (ao abrigo do anonimato), órgão especificamente criado no seio das Instituições de Ensino Superior com o propósito de defesa e promoção dos direitos dos estudantes”.

Veja o direto NDC com a posição da Associação Académica de Coimbra sobre os casos de assédio:

 

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade