Conecte-se connosco

Coimbra

Governo garante apoios para populações e autarquias afetadas

Publicado

em

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, garantiu hoje, em Condeixa-a-Nova, no distrito de Coimbra, que vão existir os recursos necessários para apoiar as populações e as autarquias afetadas pela tempestade Leslie.

“Não pode deixar de haver recursos para a recuperação da normalidade de vida das famílias numa ocorrência destas e vamos ter os recursos necessários”, disse o governante, após a visita às piscinas municipais de Condeixa-a-Nova, cuja cobertura ficou completamente destruída.

A tempestade Leslie, que atingiu, sobretudo, a região Centro, provocou estragos superiores a 1,1 milhões de euros nos equipamentos municipais de Condeixa-a-Nova, segundo o presidente do município.

Aos jornalistas, Pedro Marques disse que o Governo vai definir nos próximos dias, “provavelmente já no próximo Conselho de Ministros, um conjunto de atuações” para apoiar os estragos provocados pela tempestade de sábado à noite.

“A prioridade, evidentemente, repor a normalidade da habitação das famílias, apoiar aqueles que precisam de alojamento temporário, apoiar também as empresas, sabendo nós que felizmente têm os seus seguros”, garantiu o ministro.

O titular da pasta do Planeamento e Infraestruturas mostrou a disponibilidade do Governo para “apoiar as autarquias em situações em que as infraestruturas municipais devam ser reparadas e em particular na sequência de catástrofes”.

“Certamente que o Fundo de Emergência Municipal é um instrumento que existe e que também poderá ser mobilizado”, admitiu o governante, salientando que, nos próximos dias, o Governo vai aprovar diretivas para “facilitar e agilizar os procedimentos de contratação pública, para que as autarquias possam rapidamente repor as condições de normalidade nos equipamentos municipais”.

Segundo o presidente do município de Condeixa-a-Nova, Nuno Moita, a reparação das piscinas municipais, que, neste momento, estão inutilizadas, vão implicar um investimento de 600 mil euros.

“A nossa intenção é iniciar a recuperação da piscina o mais rapidamente possível, por ajuste direto, no regime de exceção”, explicou.

O autarca enumerou ainda estragos nas escolas do concelho, no estádio municipal, no edifício dos Paços do Concelho e nas estradas municipais e florestais.

“Contas feitas, temos neste momento apurados 1,1 milhão de euros de prejuízos”, sublinhou.

O presidente da Câmara de Condeixa-a-Nova disse ainda que várias empresas da zona industrial sofreram avultados estragos, num montante de dois milhões de euros, nomeadamente a cerâmica Dominó, que vai estar sem laborar cerca de um mês devido à queda do teto da principal unidade de produção.

Nuno Moita adiantou ainda que há prejuízos contabilizados de 350 mil euros em estufas agrícolas do concelho e cerca de 150 mil euros de estragos nas coberturas das habitações particulares.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade [video width="1280" height="1280" mp4="https://www.noticiasdecoimbra.pt/wp-content/uploads/2020/11/banner-NDC-radioboanova.mp4" loop="true" autoplay="true" preload="auto"][/video]
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com