Conecte-se connosco

Desporto

Governo anuncia reforço de verbas para o próximo ciclo paralímpico

Publicado

em

 O secretário de Estado do Desporto e Juventude, Emídio Guerreiro, anunciou hoje o reforço das verbas em 50 por cento, comparativamente ao ciclo anterior, do Comité Paralímpico de Portugal para o ciclo olímpico do Rio2016.

“Nós aceitámos a proposta do Comité Paralímpico do valor das bolsas para os atletas de alto rendimento do ciclo paralímpico e demos este sinal à sociedade portuguesa que é preciso olhar para esta gente de outra forma”, disse o governante em Coimbra, à margem da cerimónia de abertura das comemorações do Dia Paralímpico.

Emídio Guerreiro adiantou ainda que, no apoio às restantes modalidades das outras federações, o Governo descriminou positivamente os projetos desportivos que contenham a valência do desporto para deficientes.

“Também aqui, de forma indireta, ajudamos a promover e a incentivar a prática desportiva, porque entendo que o desporto é uma importante ferramenta para a inclusão social”, frisou.

Para Emídio Guerreiro, o desporto paralímpico “precisa de mais, não pode ser só o Estado a dar este sinal positivo”.

“Precisamos que a restante sociedade também nos acompanhe neste esforço”, disse o governante, apelando à sociedade civil e às empresas para que concretizem “a matriz da responsabilidade social” nesta área.

O presidente do Comité Paralímpico de Portugal, Humberto Santos, salientou à agência Lusa que o grande desafio passa por “aumentar de forma significativa a base de prática desportiva regular”.

“Nós fomos aos Jogos Paralímpicos com uma média etária de 32,7 anos, que é muito elevada”, frisou o responsável, considerando que é extremamente importante que as pessoas com deficiência passem a ter mais oportunidades de prática desportiva.

Para Humberto Santos, é necessário que “exista igualdade de acesso aos espaços desportivos, que os clubes e as federações sejam sensíveis a abrir as portas para este universo de cidadãos”, de forma que possam “sair de um rácio extremamente baixo de prática de desporto regular e assim, aumentando a base, contribuir para o reforço do topo”.

A segunda edição do Dia Paralímpico decorre hoje em Coimbra, em seis estruturas desportivas da cidade, envolvendo 3.500 jovens de escolas, clubes e instituições, com o objetivo de afirmar o movimento paralímpico e estimular a inclusão através do desporto.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link