Conecte-se connosco

Crimes

Gangue dos catalisadores ouvido no Tribunal de Coimbra (com vídeos)

Publicado

em

Os 20 detidos pela Polícia de Segurança Pública (PSP) de Coimbra, esta terça-feira, na Figueira da Foz, no âmbito da Operação Palladium, relacionada com o furto de catalisadores, começaram hoje a ser ouvidos no Tribunal de Coimbra. 

Os suspeitos, 16 homens e quatro mulheres, com idades entre os 30 e os 40 anos, estão a ser presentes a juiz de instrução criminal, para primeiro interrogatório judicial, e respondem por crimes de furto, recetação, branqueamento de capitais, associação criminosa, simulação de crime, detenção de arma proibida e tráfico de estupefacientes e pessoas.

A PSP montou uma mega operação à porta do Tribunal de Coimbra, com fortes medidas de segurança. A circulação de pessoas em frente ao Palácio da Justiça foi vedada por elementos policiais. Os detidos foram divididos em dois grupos, um dos quais está nas instalações da PSP de Coimbra e o outro no Porto, de acordo com o que o Notícias de Coimbra apurou junto de fonte policial.

Segundo a mesma fonte, os suspeitos deverão ser ouvidos até à próxima sexta-feira. Só depois disso, serão conhecidas as eventuais medidas de coação aplicadas.

A operação Palladium culmina cerca de um ano de investigação, realizada sob a coordenação do Departamento de Investigação e Ação Penal Regional de Coimbra, por suspeita de vários crimes, entre eles o furto qualificado e recetação de catalisadores. “No que diz respeito especificamente ao furto de catalisadores, este grupo de suspeitos vinha praticando ilícitos com elevada mobilidade e dispersão geográfica, nomeadamente nos distritos do Porto, Aveiro, Viseu, Coimbra, Castelo Branco, Leiria e Lisboa”, informou o comissário Renato Neto, da PSP de Coimbra. 

Segundo o responsável, a maioria dos furtos “era realizada no período noturno”, por vezes “com nítida divisão de tarefas: enquanto uns sinalizavam as viaturas a serem alvo de furto e asseguravam ações de vigilância tendentes a sinalizar qualquer aproximação de testemunhas ou viaturas policiais, outros tinham o conhecimento técnico e o equipamento adequado para realizarem efetivamente o furto”.

“A participação dos suspeitos no crime é diferente: um grupo considerado mais organizado assumia a qualidade de chefia e um grupo assumia o papel de operacionais e procediam ao furto de catalisadores e venda de drogas na Figueira da Foz”, esclareceu.

Alguns dos detidos “têm relações familiares” e possuem antecedentes criminais.

De acordo com Renato Neto, nas 30 buscas domiciliárias e nas cerca de 20 buscas a viaturas foram apreendidos 28 telemóveis, aproximadamente oito mil euros em dinheiro, oito viaturas, quatro catalisadores, um revólver de calibre 357, duas armas de pressão de ar e diverso equipamento para efetivação dos furtos.

 

Veja o direto NDC com os detidos a chegar ao Tribunal de Coimbra:

 

Veja o direto NDC com o aparato policial junto ao Palácio da Justiça:

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com