Conecte-se connosco

Região

Montemor-o-Velho aguarda pareceres para formar executivo

Publicado

em

O presidente eleito da Junta de Freguesia de Montemor-o-Velho e Gatões, no concelho de Montemor-o-Velho, pediu pareceres jurídicos para que possa constituir o executivo, cuja composição já foi chumbada, em duas reuniões, pela oposição, anunciou hoje o autarca.

Em declarações à agência Lusa, o presidente reeleito, António Pardal, da coligação PSD/CDS-PP, disse que a oposição, em maioria na Assembleia de Freguesia, chumbou as suas propostas para a constituição do executivo.

Nas eleições autárquicas de 26 de setembro, a coligação PSD/CDS-PP venceu as eleições para aquela união de freguesias do distrito de Coimbra, elegendo quatro elementos, tantos como o PS, segunda força política mais votada, a que se soma um eleito pela CDU.

Após a instalação da Assembleia de Freguesia, no sábado, António Pardal propôs que os dois vogais do executivo fossem da sua lista, o que foi chumbado pela oposição.

Na reunião, ainda propôs que a presidência da Mesa da Assembleia de Freguesia fosse detida pelo PS e pela CDU, mas ambas as propostas também foram recusadas.

Na segunda reunião, no domingo, António Pardal refere que apresentou uma lista em que o terceiro elemento do executivo era um elemento do PS, que não tinha sido o cabeça de lista, também rejeitada.

“Não sei o que estão aqui a fazer. Isto é uma coligação negativa. Quero trabalhar a bem da minha freguesia e não me deixam”, queixa-se António Pardal, que se candidatou ao terceiro e último mandato como presidente daquela união de freguesias, embora tivesse liderado a Junta de Montemor-o-Velho nos três mandatos anteriores à agregação.

Salientando que gostava de trabalhar “com os meus, nos quais tenho confiança pessoal e política”, o autarca frisa que apenas fará coligação com o PS, que foi a segunda força política mais votada no concelho, apesar de ter existido uma abordagem da CDU após as eleições para que integrasse o executivo.

“Na quarta-feira pedi pareceres à Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) e à Associação Nacional de Assembleias de Freguesia (ANAFRE) para saber que procedimento hei de tomar”, disse o autarca.

António Pardal disse que fez o que lhe competia e que coloca os “interesses da freguesia acima de qualquer partido”, mesmo prescindindo de um elemento da sua lista “para integrar um eleito do PS” no executivo.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link