Coimbra

Fogo! Machado obrigado a comprar o que Ataíde não conseguiu entregar

Notícias de Coimbra | 10 anos atrás em 30-07-2014

A Câmara Municipal de Coimbra  (CMC) foi “forçada” a investir mais de 21.000 euros em Equipamentos de Proteção Individual para utilização dos elementos da Companhia de Bombeiros Sapadores de Coimbra (CBSC), investimento que se justifica, pelo facto de estarmos numa “fase critica de incêndios” e a Comunidade Intermunicipal Região de Coimbra não ter entregue o material que tinha ficado de comprar.

PUBLICIDADE

A CMC conta-nos que  a parcela mais significativa do total deste investimento diz respeito a calças e casacos ignífugos para combate a incêndios florestais e a calças e casacos Nomex (marca de uma fibra resistente ao fogo). Em menor valor, foi ainda adquirido fardamento diverso e acessórios.

Com este investimento, os elementos da CBSC dispõem de melhores condições para enfrentarem as exigências e múltiplas tarefas com que se deparam no dia-a-dia.

PUBLICIDADE

Apesar de estar prevista a aquisição de equipamentos para os corpos de bombeiros por parte da Comunidade Intermunicipal Região de Coimbra (CIM RC), a Câmara Municipal de Coimbra, consciente das necessidades específicas desta época do ano, optou por não esperar por este material, alvo de vários atrasos, e aplicou um esforço financeiro na proteção dos seus bombeiros.

Num comunicado do passado mês de junho, a CIM RC declinou “qualquer responsabilidade no atraso da entrega dos equipamentos aos bombeiros”, explicando que este “se deve à falta de resposta atempada da DGAI [Direção-Geral da Administração Interna] e do POVT [Programa Operacional de Valorização do Território] em termos de apreciação das candidaturas e à intempestiva entrada em vigor da Lei 75/2013 com consequências profundas no normal funcionamento das Comunidades Intermunicipais não ponderadas devidamente”. No mesmo documento, a CIM RC indicava que “o prazo previsto da entrega de equipamentos é de 4 meses”, acrescenta o comunicado da CMC enviado a NDC.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

Segundo a autarquia local, a cumprir-se esta previsão, o equipamento já só chegará a tempo da época de incêndios de 2015. Por esta razão e por se tratar de material de desgaste rápido, a Câmara Municipal de Coimbra optou por efetuar esta aquisição de material, por ajuste direto, apetrechando-se para a atual fase de incêndios.

ho, a CIM RC declinou “qualquer responsabilidade no atraso da entrega dos equipamentos aos bombeiros”, explicando que este “se deve à falta de resposta atempada da DGAI [Direção-Geral da Administração Interna] e do POVT [Programa Operacional de Valorização do Território] em termos de apreciação das candidaturas e à intempestiva entrada em vigor da Lei 75/2013 com consequências profundas no normal funcionamento das Comunidades Intermunicipais não ponderadas devidamente”. No mesmo documento, a CIM RC indicava que “o prazo previsto da entrega de equipamentos é de 4 meses”, acrescenta o comunicado da CMC enviado a NDC.

Segundo a autarquia local, a cumprir-se esta previsão, o equipamento já só chegará a tempo da época de incêndios de 2015. Por esta razão e por se tratar de material de desgaste rápido, a Câmara Municipal de Coimbra optou por efetuar esta aquisição de material, por ajuste direto, apetrechando-se para a atual fase de incêndios.

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE