Coimbra

Fim de semana com muita chuva e trovoada!

Notícias de Coimbra | 8 anos atrás em 21-10-2016

 

PUBLICIDADE

O Comando Distrital de Operações de Socorro de Coimbra, informa-nos que, no seguimento do contacto com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), realizado hoje no Comando Nacional de Operações de Socorro (CNOS) da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), salienta-se para os próximos dias a ocorrência de condições de instabilidade atmosférica (precipitação acompanhada de trovoada) a afetar o território continental, com a seguinte incidência:

Imagem de 11 de janeiro de 2016

Imagem de 11 de janeiro de 2016

No período entre o final do dia de hoje e o final da manhã de Sábado (22 Outubro) – precipitação pontualmente forte (> 10 mm/h) na região a sul do alinhamento Montejunto-Estrela, particularmente na região de Lisboa, Setúbal e Algarve, com acumulados que podem atingir 20-30 mm/3h.
No período entre o final do dia de Sábado (22 Outubro) e o início da manhã de Domingo (23 Outubro) – precipitação pontualmente forte (> 10 mm/h) nas regiões do Norte e Centro, sobretudo ao longo do litoral a Norte do cabo Mondego.

PUBLICIDADE

A partir do final de Domingo (23 Outubro) e até 2.ª feira (24 Outubro) – possível agravamento das condições de instabilidade atmosférica, com fenómenos locais de aguaceiros e vento fortes acompanhados de trovoada, a afetarem sobretudo a região do Sul. Agitação marítima na costa Ocidental superior a 4 m.

EFEITOS EXPECTÁVEIS

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água

Cheias rápidas em meio urbano devido à acumulação de águas pluviais ou insuficiência dos sistemas de drenagem

Inundações de zonas historicamente mais vulneráveis em resultado do transbordo de linhas de água

Inundações de estruturas urbanas subterrâneas em virtude de deficiências de drenagem

A ANPC recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, nomeadamente através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, e em particular nas zonas historicamente mais vulneráveis, se recomenda a observância e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações.

MEDIDAS PREVENTIVAS

Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;

Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível

formação de lençóis de água e acumulação de água nas vias;Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para

buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;

Ter especial cuidado ao circular junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;

Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE