Conecte-se connosco

Região

Figueira da Foz presta apoio à recém-criada “Equipa Comunitária de Suporte em Cuidados Paliativos”

Publicado

em

O Agrupamento de Centros de Saúde do Baixo Mondego (ACES-BM) apresentou uma candidatura ao «Programa Humaniza», da Fundação La Caixa/BPI, que permitiu a criação de uma Equipa Comunitária de Suporte em Cuidados Paliativos (ECSCP), que irá ser apresentada amanhã, pelas 14:30, no Auditório Municipal da Figueira da Foz.

A autarquia figueirens adidanta que esta equipa irá intervir nos concelhos de Cantanhede, Montemor-o-Velho e Figueira da Foz e tem como principais objetivos: garantir os cuidados a doentes com doenças crónicas severas, progressivas e incuráveis, com sintomatologia complexa e existência de sofrimento associado, em contexto domiciliário, procurando articular-se com todos os recursos de saúde e sociais da comunidade; prestar apoio diferenciado em Cuidados Paliativos a todas as estruturas de saúde e sociais existentes nos Concelhos de Cantanhede, Montemor-o-Velho e Figueira da Foz, na qual existam pessoas com este tipo de necessidades; dar formação a profissionais em Cuidados Paliativos, assim como formação e capacitação de cuidadores e familiares.

Em setembro de 2021, o Município da Figueira da Foz e Administração Regional de Saúde do Centro, IP formalizaram, através de protocolo, os termos da colaboração entre as  duas instituições, no âmbito da prestação de cuidados paliativos domiciliários. 

Ao Município incumbirá prover as necessidades de viatura para as deslocações da equipa aos domicílios no âmbito da sua atividade assistencial, consoante disponibilidade das viaturas do Município, ficando os encargos com combustível decorrentes das deslocações sob responsabilidade da Equipa Comunitária de Suporte em Cuidados Paliativos; colaborar na resolução de problemas de pessoas que em situação de vulnerabilidade, e por ausência de cuidador ou de recursos, necessitem de encaminhamento dentro da rede social do município e em articulação com os demais serviços competentes, designadamente Serviço Local de Segurança Social; colaborar na provisão de produtos de apoio fundamentais para a prossecução dos objetivos terapêuticos e para a permanência da pessoa no seu domicílio, nos casos de pessoas com carências de ordem económica, nos termos a definir em fase posterior entre as partes; disponibilizar espaços para a realização de ações de formação de profissionais, e de cuidadores e familiares.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link