Conecte-se connosco

Festa do Cinema no Teatro Académico de Gil Vicente com filmes a 2,5€

Publicado

em

É já o terceiro ano consecutivo que a Festa do Cinema passa pelas telas portuguesas. De 22 a 24 de maio os cinemas nacionais aderentes abrem portas com bilhetes a 2,5 euros. O Teatro Académico de Gil Vicente foi um dos espaços selecionados pela iniciativa e apresenta dois filmes a 2,5 euros. O JOVEM KARL MARX de Raoul Peck e A CRIADA de Park Chan-wook foram as escolhas para celebrar a Festa do Cinema no Teatro Académico de Gil Vicente.

unnamed

Ambos os filmes passam pela tela do TAGV dia 22 de maio. O JOVEM KARL MARX é o primeiro, a iniciar-se às 18:30.

A película é assinada pelo haitiano Raoul Peck e mostra um olhar sobre o início do percurso de Karl Marx. O filme viaja entre três cidades, Paris, Londres e Bruxelas, e permite assistir aos primeiros encontros entre Marx e Friedrich Engels em 1844. Ao se conhecerem, criam a génese de umas das mais conhecidas teorias políticas. O filme trata, assim, da paixão intelectual entre os dois pais do marxismo e do Manifesto Comunista.

A CRIADA chega pelas mãos de Park Chan-wook e tem início às 21h30. Galardoado com o Prémio Vulcain Prize for the Technical Artist, no Festival de Cinema de Cannes em 2016, o filme é um thriller erótico. Remetendo para o ano de 1930, na Coreia do Sul, a jovem Sookee é contratada para trabalhar com uma herdeira nipónica, Hideko. Esta vive, de forma solitária, com o seu autoritário tio. Porém, como nem tudo é o que parece, Sooke é uma ladra recrutada por um vigarista. Em conjunto, pretendem roubar Hideko e a sua fortuna. O plano é convencer a herdeira a casar com o vigarista, que se faz passar por um conde. Sem sobressaltos, o esquema corre plenamente, até Hideko e Sooke inesperadamente descobrirem emoções e a ladra perceber as motivações da herdeira.

A Festa do Cinema teve início em 2015. De acordo com a organização do evento, o objetivo passa por “promover o acesso à cultura e atrair novos públicos às salas de cinema”. 400 mil espectadores foi o número atingido em edições passadas.

“O formato inclui todas as salas de cinema portuguesas, cinematecas e auditórios, proporcionando mais de 90 mil lugares por dia e mais de 10 mil sessões”, explica a organização da Festa. A iniciativa é promovida pela APEC – Associação Portuguesa de Empresas Cinematográficas, com o apoio do ICA – Instituto do Cinema e do Audiovisual, FEVIP – Associação Portuguesa de Defesa das Obras Audiovisuais e GEDIPE – Associação para a Gestão de Direitos de Autor, Produtores e Editores.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade