Conecte-se connosco

Coimbra

Fenprof suspende greve marcada para sexta-feira (com vídeos)

Publicado

em

A Federação Nacional de Professores (Fenprof) decidiu hoje suspender a greve de professores de sexta-feira, face ao ‘chumbo’ do Orçamento do Estado para 2022, mas irá associar-se à greve da administração pública marcada para dia 12 de novembro.

O secretário-geral da Fenprof, Mário Nogueira, afirmou hoje em Coimbra que como a greve de sexta-feira estava “intimamente ligada ao Orçamento do Estado e à ida do ministro ao parlamento” para a sua discussão na especialidade, junto da comissão parlamentar, foi decidido suspender aquela ação de luta.

Mário Nogueira frisou que esta é uma suspensão de greve, mas não a sua anulação, salientando que a Fenprof vai deixar esta ação de luta “em carteira para um momento em futuro próximo”.

Esse momento poderá surgir caso seja apresentada “pelo próximo Governo uma proposta de Orçamento do Estado semelhante à que agora foi chumbada, no dia em que o futuro ministro da Educação se deslocar à comissão parlamentar de Educação para audição sobre a mesma”, asseverou.

Diferente entendimento tem a Fenprof sobre a greve da administração pública marcada pela Frente Comum para 12 de novembro.

Esta “não era uma greve associada à deslocação de qualquer ministro ao parlamento, destinando-se a passar ao Governo e ao país que os trabalhadores da administração pública não se conformam com a desvalorização a que têm sido alvo nem com a degradação dos serviços públicos que não foi iniciada pelo atual Governo, mas prosseguida por ele”, disse Mário Nogueira, em conferência de imprensa realizada hoje à tarde, após reunião do secretariado da Fenprof que decorreu da parte da manhã.

O dirigente sindical apelou a todos os professores e educadores de infância para se juntarem a essa greve.

Para Mário Nogueira, o ‘chumbo’ do Orçamento do Estado para 2022 e a convocação de eleições “não pode nem será visto pelos professores como um problema”, mas antes “como uma oportunidade que o Orçamento do Estado não passe ao lado dos professores” e para que surjam respostas aos problemas que estes profissionais sentem.

“Esta é uma oportunidade para, por fim, neste país haver um ministro da Educação e não um ministro para a Educação”, frisou, considerando que o atual governante apenas aparece em “eventos desportivos”.

Tiago Brandão Rodrigues “desapareceu na educação”, constatou.

Face a um ministro que “bloqueou completamente o diálogo” com a Fenprof, Mário Nogueira acredita que “seja quem for que ganhe as próximas eleições, pior do que hoje existe não é possível, porque o que hoje existe é nada”.

 

Veja o vídeo do Direto NDC com Mário Nogueira, secretário-geral da Fenprof:

Veja o vídeo do Direto NDC Conferência de Imprensa da FENPROF de apresentação das conclusões da reunião do secretariado nacional da estrutura sindical:

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link