Conecte-se connosco

Lazer

Feira do Queijo de Tábua adota novo formato devido à pandemia

Publicado

em

A Câmara Municipal de Tábua cancelou o evento presencial da Feira de Queijos e Sabores da Beira devido à pandemia provocada pela covid-19, estando previsto outro formato.

A edição de 2022 estava prevista para os dias 5 e 6 de março, mas face ao crescente número de infeções provocadas pela covid-19 e aos indicadores das autoridades de saúde que preveem um aumento de casos nas próximas semanas, o município cancelou a feira em formato presencial, informou a autarquia numa nota de imprensa hoje divulgada.

Tendo em conta a “importância que a promoção e valorização das produções locais assumem no contexto da economia local”, bem como o “desenvolvimento das pequenas explorações agrícolas e unidades de produção”, o certame vai decorrer num modelo diferente com uma nova dinâmica de divulgação.

A Câmara daquela vila do interior do distrito de Coimbra está a preparar iniciativas para todo o mês de março.

As ações inserem-se numa estratégia de apoio aos produtores, através da “criação de novos instrumentos que os aproximem dos mercados consumidores e fomentem o escoamento das suas produções, para além da promoção e visibilidade da qualidade dos seus produtos”, explicou o município na mesma nota.

Entre outras iniciativas destaca-se a autorização da presença dos pequenos agricultores locais no mercado municipal para a venda diretamente os seus produtos e o reforço da aposta nos canais de comercialização através das lojas virtuais, como por exemplo a plataforma DOTT.com.

A divulgação dos apoios para a criação e modernização das explorações agrícolas, tornando-as mais competitivas e a apresentação de projetos inovadores, que trarão uma nova dinâmica e diferenciação ao setor agropecuário deste território, são outras das iniciativas previstas.

Nesse programa insere-se ainda o desenvolvimento de ações tendentes à promoção dos princípios associados ao Plano Nacional para a Alimentação Equilibrada e Sustentável e ao combate ao desperdício alimentar.

É uma forma de “apoiar um dos setores mais afetados com a atual pandemia e minimizar os seus impactos negativos” da covid-19, lançando novas “ações que vão ao encontro das necessidades” da população, valorizando o “potencial endógeno” e o “crescimento da economia local”, concluiu a autarquia.

A covid-19 provocou em Portugal, 19.744 mortos e foram contabilizados 2.443.524 casos de infeção, segundo a última atualização da Direção-Geral da Saúde.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link