Região

Feira do Mel e da Castanha da Lousã quer continuar a ser a melhor do país (com vídeos)

Zilda Monteiro | 1 ano atrás em 08-11-2022

Mais de 60 expositores vão participar, de 18 a 20 de novembro, na 31.ª Feira do Mel e da Castanha da Lousã. Depois de dois anos condicionada devido à pandemia, regressa nos moldes tradicionais ao Parque Municipal de Exposições e pretende continuar a afirmar-se como a “melhor do país”.

PUBLICIDADE

O presidente da Câmara Municipal da Lousã, Luís Antunes, não tem dúvidas de que este certame é o melhor do género realizado em Portugal e espera que se continue a consolidar, projetando o concelho e a região e contribuindo para a sua maior atratividade.

“Esta é a melhor Feira do Mel e da Castanha do país e queremos que seja uma festa que exalte estes dois produtos de grande qualidade e de grande expressão no nosso território, complementados por todos os outros produtos endógenos caraterísticos desta região”, sublinhou durante a apresentação do evento, que decorreu esta terça-feira na Casa das Condessinhas, na Lousã.

PUBLICIDADE

publicidade

A história do evento já deixou bem claro que o mel e a castanha são uma combinação perfeita, que liga bem com todos os outros produtos endógenos desta vasta e rica região, como sucede com o queijo, os enchidos e os restantes frutos desta época.

À vertente da exposição e venda junta-se ainda a gastronomia e a animação, num evento que reforça também a aposta na dinamização e promoção da comunidade educativa e dos seus projetos e que surge, este ano, com uma componente ambiental mais forte, ao promover o uso de copos reutilizáveis em todo o recinto.

PUBLICIDADE

De acordo com Luís Antunes, vão estar na feira 20 apicultores com o mel certificado DOP Serra da Lousã e 41 expositores com produtos endógenos, 19 dos quais dedicados ao comércio da castanha. No recinto vão encontrar-se também cinco tasquinhas, dinamizadas por coletividades e instituições das quatro freguesias do concelho, que vão presentear os visitantes com os sabores da gastronomia regional, onde não faltará a famosa chanfana.

O presidente destacou, ainda, a forte presença da comunidade educativa, que vai estar representada através de 14 projetos e que vai trazer “um colorido e muita alegria” a este evento que aposta assim na sensibilização da comunidade, sobretudo dos mais jovens, para a importância que estes produtos endógenos têm para a economia e para a promoção da Lousã.

Estarão também no recinto algumas presenças institucionais, bem como empresas, como o Licor Beirão e a Delta Cafés.

Não falta também a habitual animação musical, com muitas atrações nos três dias, bem como o tradicional magusto no último dia. As atuações de Rouxinol Faduncho (18 de novembro) e de Fernando Alvim (19 de novembro) são apenas algumas das atrações do programa, que conta com a participação de vários grupos do concelho.

Apesar da produção do mel continuar muito longe do desejável, com quebras na ordem dos 70%, Luís Antunes assegura que esta feira será pautada, como habitualmente, pela qualidade. Espera que continue a funcionar como um estímulo para todos os produtores do concelho que, mesmo perante todas as dificuldades, continuam empenhados em manter as suas atividades.

“Estamos a trabalhar para que, mais do que uma feira, esta seja uma festa do território, da comunidade lousanense e dos visitantes”, sublinha, deixando um convite a todos para que participem neste evento que faz parte da “identidade do concelho, que aposta em produtos de grande qualidade e que vai promover momentos de grande diversão.

Ana Paula Sançana, diretora executiva da cooperativa Lousamel, destacou também a dimensão desta feira, um evento que “não é só da Lousã mas do país” e que representa o “pináculo da resiliência no acreditar nas potencialidades dos produtos endógenos”, já que se vive “um momento particularmente desafiante naquilo que é a produção do mel”.

A feira é inaugurada no dia 18, às 18h00. No dia 19 abre às 10h00 e no domingo às 11h00. 

Veja os vídeos dos diretos NDC:

 

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE