Conecte-se connosco

Coimbra

Estudantes de Direito manifestam-se por uma Universidade de Coimbra mais acessível (com vídeos)

Publicado

em

Os estudantes da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra (FDUC) saíram hoje à rua com o objetivo de reivindicar melhores acessos para alunos com mobilidade reduzida, ao Polo I, à própria faculdade e às salas de aula. A manifestação foi promovida pelo Gabinete de Inclusão do Núcleo de estudantes da Faculdade de Direito.

As coordenadoras do Gabinete de Inclusão do Núcleo de Estudantes de Direito da Associação Académica de Coimbra revelaram ao Notícias de Coimbra que há alunos que não conseguem assistir às aulas presencialmente por terem mobilidade reduzida.

Este pelouro “luta para que não haja qualquer tipo de exclusão ou discriminação”, refere Anaís Nunes. A coordenadora do Gabinete afirma ainda que nem todos os estudantes têm a possibilidade de ir às aulas devido ao facto das rampas e dos elevadores existentes na faculdade não serem adequados e mesmo no acesso ao Polo I.

A FDUC tem dois elevadores, mas não comportam uma cadeira de rodas. O núcleo de estudantes já reportou esta situação ao Reitor da Universidade de Coimbra, mas não obteve resposta. A manifestação surge também para que “sintam alguma pressão”, acrescenta Anaís.

O Gabinete de Inclusão aproveita esta luta para propor à faculdade a realização de um protocolo com os Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC) para que haja algum passe para os estudantes que têm dificuldades no acesso às instalações do Polo I.

Juliana Azevedo, que já usou cadeira de rodas, falou das dificuldades que ela e outros estudantes sentem junto do pelouro. A aluna de Direito foi um dos “pilares essenciais para tomarem uma posição” relativamente a esta problemática, afirma Beatriz Olaio, coordenadora do Gabinete de Inclusão.

Juliana revela ainda que é difícil circular pela UC e “todos os dias há uma luta diferente para ir às aulas”. Os obstáculos estendem-se um pouco por toda a cidade, não só por possuir muitas escadas, mas também porque “é uma sorte encontrar uma rampa”, explica a aluna de direito.

O Gabinete de Inclusão faz também um pedido para que a faculdade coloque mesas individuais adequadas, em cada sala de aula, para pessoas com mobilidade reduzida que não conseguem sentar-se no formato existente. A existência de cacifos próprios para colocarem os pertences e aliviar o peso ao longo do dia é também solicitado pelo pelouro.

A iniciativa ganha destaque no Dia Internacional das Pessoas com Deficiência e teve início nos jardins da Associação Académica de Coimbra, seguiu caminho pela rua Padre António Vieira e terminou na Porta Férrea.

Veja o vídeo do Direto NDC com Juliana Azevedo que tem mobilidade reduzida:

Veja o vídeo do Direto NDC com Beatriz Olaio e Anaís Nunes:

Veja os diretos NDC da manifestação:

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade