Conecte-se connosco

Cidade

Escola Agrária de Coimbra estuda valorização de subprodutos da indústria da carne e pescado

Publicado

em

O Instituto Politécnico de Coimbra (IPC), através da Escola Superior Agrária, está a desenvolver um projeto de aplicação de proteínas na melhoria de alimentos para consumo humano e animal, foi hoje anunciado.

O MobFood é um projeto de “mobilização de conhecimento científico e tecnológico que visa responder aos desafios relacionados com a promoção de uma indústria alimentar nacional mais competitiva”, salienta o IPC, em comunicado enviado à agência Lusa.

Segundo o docente da Escola Superior Agrária Carlos Dias Pereira, este projeto pretende “centralizar o setor alimentar no consumidor, por meio da abordagem das áreas indispensáveis para o desenvolvimento da indústria agroalimentar e de uma gestão eficiente de recursos”.

A instituição de ensino desenvolve “processos de separação por tecnologias de membranas, nomeadamente a ultrafiltração e a nanofiltração, com vista à valorização de subprodutos das indústrias da carne e do pescado”.

“A aplicação destas tecnologias permitirá recuperar proteínas e aromas com aplicação na alimentação humana e animal. Por outro lado, a Escola Superior Agrária trabalha também na procura de soluções para os subprodutos hortofrutícolas”, sublinha a nota.

Nesta área, a instituição integra o “PPS2 – Resíduos e Utilização Eficiente de Recursos”, que envolve a ITS – Indústria transformadora de subprodutos, SEBOL – Comércio e indústria de sebo, A Poveira, Primor, Vitacress e várias entidades do sistema científico e tecnológico.

Assente em três pilares essenciais: “Segurança Alimentar e Sustentabilidade”, “Alimentação para a Saúde e Bem-estar” e “Alimentos Seguros e Qualidade”, o projeto MobFood procura reforçar a cooperação entre os setores empresarial e não empresarial, a fim da criação de novos Produtos, Processos ou Serviços (PPS) ou tecnologias.

No final, o projeto pretende criar ingredientes com potenciais nutricional e funcional validados para aplicação humana (alimentação, cosmética e biomédica) e animal, aromas para aplicação na alimentação humana e animal, lípidos funcionais, preparados congelados e desidratados vegetais com valores nutricionais e funcionais, produtos inovadores com base nos ingredientes anteriores para a indústria alimentar (carne, peixe e vegetais), para alimentação animal e para aplicações cosmética e médica.

De acordo com o IPC, serão também desenvolvidos diferentes processos integrados de recuperação de água e valorização de efluentes.

Promovido pelo Portuguese Agrofood Cluster – presidido pela PortugalFoods – o projeto resulta de um consórcio entre o Instituto Politécnico de Coimbra, outras entidades do Sistema Científico e Tecnológico Nacional e diversas empresas em representação de todo o setor agroalimentar português.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link