Conecte-se connosco

Coimbra

Escola Agrária quer melhorar qualidade do solos do Baixo Mondego

Publicado

em

 

SoilCare é do projeto de investigação que se centra na qualidade dos solos agrícolas, do qual é parceira a Escola Superior Agrária de Coimbra (ESAC).

campos-do-mondego

O projeto, com uma duração de cinco anos, é financiado pelo programa H2020 da União Europeia, envolve cientistas de 16 países Europeus, entre eles 5 investigadores da ESAC e pesquisa formas de melhorar a qualidade do solo, através de sistemas e técnicas de cultivo que beneficiam não só o lucro do agricultor mas também o ambiente.

Cada um dos países envolvidos no projeto apresenta estudos assentes em longos anos de dados disponíveis, que representam não apenas condições climáticas distintas, mas também diferentes tipos de solo e culturas.

O projeto procura soluções que possam ser facilmente aplicadas pelos agricultores, visando uma estreita ligação com os agentes locais, o que garante que qualquer sistema ou técnica promissora possa ser rapidamente disponibilizada à comunidade agrícola.

Em particular, e a título de exemplo, no âmbito do projeto, os investigadores da ESAC trabalham em colaboração com cerca de 15 produtores de milho e de arroz da região do Baixo Mondego.

O coordenador do projeto, Dr. Rudi Hessel, investigador holandês, refere que “Os agricultores sabem desde há muito que o segredo do seu sucesso está no solo, e nós, como cientistas, estamos a trabalhar ativamente com eles para encontrar respostas que beneficiem o solo e melhorem a sua rentabilidade. Através deste projeto podemos considerar problemas como a compactação do solo, controlo de infestantes e disponibilidade de água, tendo por base a investigação em locais onde existem décadas de dados disponíveis.”

Um dos produtos deste projeto, que se iniciou em abril de 2015, será uma ferramenta interativa que permitirá aos decisores selecionarem sistemas de cultivo que beneficiem o solo, protegendo assim um dos nossos bens mais preciosos.

Através do SoilCare, que não se resume a mera investigação, os investigadores estão a trabalhar com os agricultores, bem como com fabricantes de máquinas e políticos, para garantir que estes estão cientes das suas descobertas.

Um dos objetivos mais importantes é garantir que os agricultores e a indústria agrícola conhecem os resultados obtidos nas diversas áreas de estudo, para que haja uma mudança positiva nos sistemas de cultivo em toda a Europa.

O projeto merece destaque por ocasião do Dia Mundial do Solo (5 de dezembro), instituído pelas Nações Unidas como forma de sensibilizarem a população para o papel fundamental que o solo desempenha nas nossas vidas, já que os atuais níveis de produção agrícola apenas são mantidos através da aplicação de fertilizantes, pesticidas e tecnologia, que mascaram as perdas de produção resultantes da redução da qualidade do solo.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com