Conecte-se connosco

Coimbra

Entrada na bolsa de Nova Iorque de empresa cofundada por médico formado na UC foi “um sucesso”

Publicado

em

A entrada na bolsa de Nova Iorque, na semana passada, da empresa de biotecnologia Pasithea Therapeutics criada pelo médico psiquiatra português Tiago Reis Marques “foi um sucesso total”, disse hoje o seu fundador à Lusa.

A operação bolsista da biotecnológica que começou a negociar na bolsa norte-americana na quarta-feira permitiu à empresa captar 24 milhões de dólares (cerca de 20,4 milhões de euros), com o preço de cinco dólares por ação.

“O que nos fez mais sentido nesta altura foi irmos, de uma forma rápida, buscar dinheiro ao maior mercado de capitais do mundo, que é a bolsa de Nova Iorque, em específico o Nasdaq, onde estão englobadas as maiores empresas de biotecnologia e foi isso que fizemos com sucesso total, conseguindo levantar 24 milhões de dólares para prosseguirmos com os nossos objetivos”, disse Tiago Reis Marques, além de cofundador é o presidente executivo da empresa.

Segundo explicou, a entrada no Nasdaq vai permitir “avançar na investigação” para desenvolvimento de fármacos inovadores no tratamento de doenças como a depressão ou a esquizofrenia.

“De certeza que os mercados responderão ao nosso plano”, disse o médico.

A empresa que, segundo indicou, tem o nome da “deusa grega responsável pelos estados alterados de consciência” foi criada há um ano e meio, no início da pandemia de covid-19, pelo médico português e por Lawrence Steinman, professor da Universidade de Stanford, que por sua vez é o ‘chairman’ da Pasithea.

Após um ano e meio a preparar o processo, com a identificação dos parceiros e a definição dos alvos terapêuticos, a entrada em bolsa permitirá “percorrer os primeiros passos para obter um conjunto de novos fármacos com mecanismos de ação que nunca tenham sido explorados para tratamento das doenças psiquiátricas e neurológicas”, detalha Tiago Reis Marques.

“Pretendemos alcançar fármacos que tenham maior eficácia e que atuem em zonas do cérebro que não tenham sido ainda atingidas pelos fármacos já existentes no mercado”, acrescentou o médico e investigador.

A empresa conta por enquanto com menos de 10 trabalhadores, mas está neste momento a recrutar “e o número está a aumentar diariamente”, disse ainda.

Tiago Reis Marques formou-se em medicina em 2001, pela Universidade de Coimbra, tendo completado o doutoramento em 2012 no King’s College, em Londres.

Atualmente, é docente do Instituto de Psiquiatria do King’s College e médico psiquiatra no Maudsley Hospital.

As ações da empresa começaram a ser negociados no Nasdaq em 15 de setembro.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade