Conecte-se connosco

Coimbra

Enfermeiros acusam IPO de Coimbra de “ilegalidade e injustiça” nos salários (com vídeos)

Publicado

em

Há enfermeiros do IPO de Coimbra que “estão a receber menos 400 euros” na remuneração mensal e outros que recebem o mesmo salário há 25 anos como se tivessem entrado hoje ao serviço, acusou hoje o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses.

Os enfermeiros do Instituto Português de Oncologia de Coimbra reuniram-se esta manhã em frente à instituição para exigir, entre outras reivindicações, a atribuição de pontos na avaliação de desempenho, assim com o ajustamento de salários relativo ao descongelamento das carreiras em 2019.

“Não compreendemos e não aceitamos que o IPO (de Coimbra) não tenha atribuído pontos para efeitos de progressão salarial o que significa que há aqui enfermeiros que trabalham há 25 anos e ganham exatamente o mesmo, como se tivessem acabado de entrar ao serviço. É uma profunda injustiça e uma ilegalidade” – sublinhou em declarações aos jornalistas o responsável regional do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP).

“O IPO de Coimbra ainda não atribuiu pontos relativos ao descongelamento das carreiras em funções públicas nem aos trabalhadores com contrato individual de trabalho disse Paulo Anacleto.

Dos enfermeiros do IPO de Coimbra “ainda não há processos judiciais” porque só hoje foi entregue a moção, disse ao Notícias de Coimbra, Paulo Anacleto. O sindicalista sublinhou que em situações laborais semelhantes já houve decisão judicial favorável, como foi o caso de processos instaurados na Figueira da Foz com decisões favoráveis e em Castelo Branco desmarcaram uma greve porque a instituição hospitalar reconheceu razão ao SEP.

Contactada pelo Notícias de Coimbra, a administração do IPO desdramatiza as acusações e revela que o “processo avaliativo, relativo ao biénio 2019-2020 das Carreiras de Enfermagem e Especial de Enfermagem, foi concluído no 2.º trimestre de 2022, com a homologação das notas e respetiva tomada de conhecimento por cada um dos enfermeiros de forma individual”.

O Instituto Português de Oncologia refere ainda que “serão comunicados os pontos do biénio 2019-2020 aos interessados para que estes, querendo, se pronunciem, de forma a operacionalizar as progressões a que haja lugar, no mês de julho, com os efeitos retroativos nos termos legais”.

 

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link