Saúde

Encerramento noturno de urgência pediátrica de Viseu. “Não é solução dirigir as pessoas para Coimbra”

Notícias de Coimbra com Lusa | 3 semanas atrás em 21-05-2024

A presidente da Câmara de Tondela, Carla Antunes Borges, avisou hoje que o encerramento noturno da urgência pediátrica em Viseu vai pressionar ainda mais a urgência geral do hospital do seu concelho.

PUBLICIDADE

“A pressão que está a haver na urgência [de Tondela] é muito grande, o serviço não está dimensionado para um aumento do número de casos”, afirmou a autarca social-democrata à agência Lusa.

A administração da Unidade Local de Saúde Viseu Dão Lafões (ULSVDL) informou, ao final da tarde de segunda-feira, que a urgência pediátrica estará encerrada ao exterior todos os dias no período noturno, entre as 20:00 e as 09:00, a partir de 01 de junho.

PUBLICIDADE

Desde março, já estava condicionada ao exterior no período noturno entre quinta-feira e domingo.

“As informações que nós temos é que, já durante o fim de semana, pelo facto de a urgência da pediatria de Viseu estar encerrada, havia um aumento do número de casos de crianças”, que não era habitual, contou Carla Antunes Borges.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

Segundo a autarca, essa situação “complica e pressiona o serviço que é prestado” na urgência geral do hospital de Tondela, “que não consegue ter resposta” para este avolumar de casos.

Carla Antunes Borges disse entender que, numa situação de doença, “qualquer pai quer é que o filho seja atendido o mais depressa possível” e, não tendo resposta em Viseu, “claro que recorre ao hospital público e à urgência pública mais próxima, que é a do hospital de Tondela”.

“Não é solução dirigir as pessoas para Coimbra, para uma urgência pediátrica. Têm é que se encontrar soluções para que as crianças tenham uma resposta imediata”, defendeu.

A autarca lembrou que já há muito tempo vem alertando “para o facto de as urgências de Tondela não estarem a funcionar devidamente”.

“E agora ainda vem agravar mais a situação”, realçou, acrescentando que, “durante a noite, muitas vezes, verifica-se que só existe lá um médico e as respostas não estão a ser dadas à população como deve ser”.

À semelhança do que já tinha feito o presidente da Câmara de Viseu, Carla Antunes Borges criticou o facto de os autarcas não terem sido informados desta decisão da administração da ULSVDL, liderada por Nuno Duarte.

“Não conseguimos compreender que não haja qualquer contacto connosco, é um total desrespeito”, considerou.

A administração da ULSVDL justificou, em comunicado, que “para poder maximizar a disponibilidade dos pediatras durante o período de verão, sem impedir o legal direito ao gozo de férias, importa limitar a atividade assistencial da Urgência Pediátrica aos períodos diurnos e às situações de emergência em período noturno”.

Segundo a ULSVDL, a decisão visa “garantir disponibilidade para uma escala continuada de apoio à Urgência Interna e Bloco de Partos, evitando assim mais roturas assistenciais em cascata”.

Related Images:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE