Conecte-se connosco

Região

Em vídeos: Região de Coimbra com estratégia para estimular a produção alimentar sustentável

Publicado

em

Foi apresentada, esta terça-feira, a “Estratégia Alimentar 2022-2030 da Comunidade Intermunicipal (CIM)  Região de Coimbra”, no âmbito do projeto Food Corridors do programa Urbact. Para o vice-presidente da CIM “a Região tem a estratégia alimentar no topo das suas prioridades e defende sistemas de produção alimentar sustentáveis como chave para assegurar que as gerações futuras consumam alimentos seguros e sigam dietas saudáveis”.

Raul Almeida realça que o objetivo deste projeto é transformar a “Região de Coimbra num polo regional ligado à produção, consumo, investigação e inovação alimentar sustentável”, reforçando que “um sistema de produção sustentável, do ponto de vista ambiental, económico e social, contribui para a valorização dos produtos e consciencialização dos consumidores sobre as boas práticas de produção, transformação e o consumo dos alimentos”.

Recorde-se que a Estratégia Alimentar 2022-2030, desenvolvido no âmbito do Programa de Cooperação Territorial Europeia Urbact, visa explorar forças e oportunidades das relações urbano-rurais, criando uma estrutura em torno dos temas que podem sustentar estratégias alimentares, potencializando a base territorial através da articulação de políticas horizontais e verticais.

De acordo com o secretário executivo da CIM, Jorge Brito, neste momento existem projetos (submetidos e aprovados) para implementar a estratégia alimentar desenhada pelo ‘Food Corridors’, no valor de cerca de sete milhões de euros.

“O exemplo mais robusto foi uma aliança, que é nome de um dos projetos, promovido no âmbito do Erasmus+, que é um projeto de cerca de quatro milhões de euros, com vários parceiros europeus, mas temos outros exemplos. O projeto, por exemplo, com a Escola Superior Agrária de Coimbra (ESAC), no âmbito de Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), chamado ‘Carbon2Soil’ para ajudar e otimizar o processo de retenção carbónica”, explicou.

A ideia é, nomeadamente, desenvolver um guia prático focado na criação de modelos de negócio de circuitos curtos, assim como produzir uma metodologia adaptada para cálculo da pegada ecológica de produtores locais, a fim de ajudar os produtores a chegar aos consumidores.

Sensibilizar a população para necessidade de mudar os padrões de consumo atuais são outras das ações que integram a estratégia.

A Região de Coimbra pretende ainda incentivar a adoção de critérios de sustentabilidade ambiental e social nas compras públicas para cantinas escolares, com vista a aumentar a qualidade das refeições fornecidas na escola, bem como criar um grupo de trabalho para promover o diálogo com o Governo em matéria de Acordos-Quadro, por exemplo.

Ao longo do projeto, foram potenciadas algumas oportunidades, entre as quais se destaca a distinção da Região Europeia de Gastronomia em dois países europeus participantes, Portugal (Região de Coimbra) e Eslovénia, impulsionando a interação entre as regiões europeias dentro e fora deste projeto.

Toda esta rede, liderada pela CIM Região de Coimbra é constituída por outros parceiros de seis países europeus: Grécia, Estónia, Hungria, Roménia, Itália e Eslovénia, procurou ainda tirar partido do conhecimento gerado em outros projetos europeus que incidem sobre o mesmo tema e com abordagens semelhantes.

Durante a cerimónia foi apresentado o ebook “Global Challenges, Local Responses”. A participação é gratuita, mas sujeita a registo prévio através de formulário online disponível no site e na página de Facebook da CIM Região de Coimbra, ou inscrição na Loja dos Sabores da Região de Coimbra, sita na Rua Ferreira Borges em Coimbra.

Veja os diretos NDC:

 

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com