Coimbra

Dona fecha gata na varanda em Coimbra para “gozar férias”. Está acusada de maus tratos a animais

Notícias de Coimbra | 5 meses atrás em 23-01-2024

Uma mulher de 65 anos está acusada da autoria material de um crime de maus tratos a animais de companhia. O julgamento está a decorrer no Tribunal de Coimbra.

PUBLICIDADE

O caso remonta ao Verão de 2019. De acordo com a acusação, a que o Notícias de Coimbra teve acesso, a arguida, “por diversas vezes e como punição por considerar que o animal se tinha comportado de forma reprovável, colocou a gata na varanda exterior do seu apartamento e fechou a portada”.

Na sequência desta decisão, o Ministério Público refere que o isolamento do animal levou a que este tivesse ficado assustado, empoleirando-se “no beiral da janela adjacente à referida varanda sem qualquer proteção quanto a uma eventual queda”.

PUBLICIDADE

A acusação refere três ocasiões em que o animal esteve na varanda durante, pelo menos, dois e três dias consecutivos levando a que fosse vista nessas alturas no beiral da janela adjacente a olhar “para o interior da residência (…) miando incessantemente”. Essa situação teve como consequência “a perda de pelo do animal”, não se “alimentando corretamente” e “ficado desidratada”.

Em agosto de 2020, colocou a gata na varanda “e fechou-a no exterior, e ali a manteve, deixando-lhe ração seca e abandonou a residência para gozar férias”. De 8 a 12 de agosto, “a gata, fechada na referida varanda e sem acesso ao interior da residência ou água, empoleirou-se no referido beiral e na varanda não se alimentou e ficou exposta a temperaturas altas, miando incessantemente e percorrendo o exíguo espaço disponível”.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

No dia 12 de agosto de 2020, coube aos Bombeiros Sapadores de Coimbra aceder “à varanda da arguida” no 4.º andar de um prédio em Coimbra para retirar a gata que se encontrava “desidratada, com queda de pelo acentuada e pouco reativa a estímulos por força do stress”.

Na sequência deste ato, o animal ficou à responsabilidade do Grupo Gatos Urbanos até à decisão judicial final. Esta terça-feira, 23 de janeiro, estava prevista a realização da última sessão do julgamento deste processo, altura em que seriam feitas as alegações finais, mas a doença de um dos advogados levou a que esta sessão fosse adiada para nova data.

Entretanto, o Grupo Gatos Urbanos publicou um vídeo na página do You Tube onde recordam que o processo em causa “tem como único objetivo não devolver o animal a quem o tratou assim, permitindo que a gata continue a viver feliz como está”.

“É o que esta em causa neste julgamento. Nada mais”, referem, ao mesmo tempo que frisam que o Grupo não requereu qualquer tipo de indemnização pela prática destes factos.

Veja o vídeo publicado pelo Grupo Gatos Urbanos

Related Images:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE