Conecte-se connosco

Coimbra

Dois aviões e um helicóptero já estão em Cernache para combate a incêndios rurais (com video e fotos)

Publicado

em

O aeródromo de Cernache, em Coimbra, está pronto para acionar o dispositivo aéreo de combate a incêndios rurais e foi alvo de uma intervenção que já permite que a entidade Navegação Aérea de Portugal autorize a operação dos dois aviões e de um helicóptero para esse fim.
Hoje o comandante Distrital de Coimbra da Proteção Civil, Carlos Luís Tavares, apresentou o dispositivo ao presidente da Câmara Municipal, Manuel Machado, e ao presidente da Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra, José Carlos Alexandrino, que visitaram os edifícios e os contentores instalados no aeródromo com fins de combate aos incêndios rurais.
Este ano, o concelho de Coimbra tem três meios aéreos: dois aviões anfíbios e um helicóptero, que transporta uma equipa de intervenção rápida dos bombeiros para debelar os fogos numa fase inicial. Em menos de 10 minutos, “normalmente leva cinco”, a equipa helitransportada voa para o local onde faz a primeira intervenção, explicou Carlos Luís Tavares.
No Aérodromo Municipal Bissaya Barreto foram instaladas recentemente as condições requeridas pela NAV, entidade pública de gestão e controlo da navegação aérea para poder acolher o dispositivo, disse hoje Manuel Machado. Uma dessas condições era a existência de um veículo de combate às chamas em aeronaves na pista, que a autarquia apresentou recentemente.
Não foram especificadas pelo presidente da Câmara quais as intervenções realizadas na pista ou no perímetro nem qual o custo, embora tenha sido divulgado que foram instaladas condições legais para as equipas dos bombeiros, GNR e operacionais da Proteção Civil poderem atuar a partir de Cernache.
A Barragem da Aguieira, o mar na Figueira da Foz e a Barragem do Cabril são os locais de carga de água para os meios aéreos, que no caso do incêndio ser perto da Base já “partem carregados”, explicaram os pilotos à comitiva,
Cernache complementa o centro de meios aéreos da Lousã e, com o helicóptero da Pampilhosa da Serra, completam a cobertura da Região de Coimbra por meios aéreos para combate a incêndios, sendo que cada centro de meios abrange um raio de ação de 40 quilómetros, explicou o responsável da Proteção Civil aos visitantes.
Esta visita decorreu no dia em que se assinalam quatro anos do grande incêndio de Pedrógão Grande, onde morreram 66 pessoas e mais de duas centenas ficaram feridas.
O aérodromo de Cernache é propriedade da Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra, por integrar o vasto património da extinta Assembleia Distrital, e está sob gestão do município.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link