Conecte-se connosco

Desporto

Dobradinha à moda do Porto!

Publicado

em

O FC Porto consumou hoje a ‘dobradinha’ com a conquista da 18.ª Taça de Portugal do seu historial, triunfando por 3-1 numa final em que foi dominador de início ao fim perante um ‘frágil’ Tondela.

O avançado iraniano Taremi inaugurou o marcador aos 22 minutos, através da marca de grande penalidade, e, na segunda parte, Vítor Ferreira ampliou, aos 52. O Tondela ainda reagiu, por intermédio de Neto Borges, aos 73, mas Taremi completou o ‘bis’ no minuto seguinte (74), sentenciando de vez o resultado, que foi justo e incontestável.

A equipa de Sérgio Conceição juntou assim a Taça de Portugal à I Liga esta temporada, que já tinha conquistado na penúltima jornada, num Jamor em que até nas bancadas foi superior, com um autêntico ‘mar azul’ e uma pequena ‘mancha amarela’ no meio.

Como expectável, o FC Porto dominou por completo o encontro desde o apito inicial, com uma elevada percentagem de posse de bola e o Tondela remetido à sua defesa, sem sucesso na procura de transições rápidas, o que tornou o jogo muito monótono.

Os ‘dragões’ viram Babacar Niasse fazer uma gigante defesa contra a trave, a remate de Pepê, com o árbitro auxiliar a assinalar um fora de jogo de Taremi durante o lance. Contudo, na procura do corte, Marcelo Alves toca na bola com o braço, o que motivou a intervenção do videoárbitro (VAR), interrompendo a partida durante sete minutos.

O lance, que aconteceu aos 15 minutos, era duvidoso, não tanto pela falta em si, que era evidente, mas sim pela influência do iraniano, em posição irregular, na jogada. O árbitro Rui Costa foi ver as imagens e entendeu que Taremi não se fez ao lance, o que significou uma grande penalidade para o FC Porto, que o próprio avançado converteu, aos 22, enganando Niasse e criando uma primeira ‘explosão’ nas bancadas do Jamor.

Inaugurado o marcador, a formação portista permaneceu a controlar a seu bel-prazer, mas sem se aproximar com perigo da área do Tondela, que apenas penetrou a área de Marchesín uma vez durante a primeira parte, em que nem conseguiu alvejar a baliza.

Antes do descanso, o FC Porto esteve perto do 2-0, com a rapidez de Pepê a superar a defensiva tondelense e a deixar a bola em Evanilson, que atirou com muito perigo, mas ligeiramente ao lado, num disparo que deixou Babacar Niasse ‘pregado’, sem hipótese.

No reatamento, Pepê desperdiçou uma ocasião soberana para dilatar a vantagem, com uma não menos boa intervenção de Babacar Niasse, a defender o remate do brasileiro, que estava solto ao segundo poste, após um passe rasteiro de Taremi na ala esquerda.

O Tondela ‘adormeceu’ no início da segunda parte, com muitas veleidades na sua zona defensiva, aproveitadas pelos ‘dragões’, que ampliaram o marcador aos 52, por Vítor Ferreira, a atirar para o fundo das redes depois de uma boa combinação com Pepê.

A Taça já parecia uma questão de minutos para os portistas, que continuaram a tentar sentenciar de vez a discussão, mas Taremi não o conseguiu em duas ocasiões: aos 62, em posição frontal, atirou de primeira ao lado, enquanto, aos 66, falhou uma grande penalidade – a castigar um braço de Sagnan no ombro de Pepê, que sentiu o toque e se deixou cair -, ao atirar com estrondo ao poste da baliza, apesar de enganar Niasse.

Os beirões, finalmente, ‘acordaram’, tendo beneficiado das duas duplas substituições efetuadas por Nuno Campos, e lograram reduzir a margem, aos 73, graças à cabeça de Neto Borges, letal a bater Marchesín, num cruzamento bem medido de Salvador Agra.

No entanto, a felicidade dos tondelenses durou apenas um minuto, pois um ‘chapéu’ delicioso de Otávio sobre a defesa contrária permitiu o ‘bis’ a Taremi, que disparou de primeira para ‘fechar’ de vez com o encontro e a ‘matar’ qualquer reação do Tondela.

O conjunto da região de Viseu ainda voltaria a tentar, novamente pelo ala esquerdo Neto Borges, que, de cabeça, desviou ao primeiro poste um pontapé de canto, tendo ainda acertado na trave, mas a conquista da Taça já não escapava à turma portuense.

Jogo disputado no Estádio Nacional, em Oeiras.

FC Porto – Tondela, 0-0.

Ao intervalo: 1-0.

 

Marcadores:

 

1-0, Mehdi Taremi, 22 minutos (grande penalidade).

2-0, Vítor Ferreira, 52 minutos.

2-1, Neto Borges, 73 minutos.

3-1, Mehdi Taremi, 74 minutos.

 

Equipas:

– FC Porto: Agustín Marchesín, João Mário, Chancel Mbemba, Pepe, Zaidu, Marko Grujic (Matheus Uribe, 84), Vítor Ferreira, Pepê (Francisco Conceição, 76), Otávio, Evanilson (Galeno, 72) e Mehdi Taremi (Toni Martínez, 84).

Suplentes: Diogo Costa, Fábio Cardoso, Matheus Uribe, Francisco Conceição, Galeno, Toni Martínez e Fábio Vieira.

Treinador: Sérgio Conceição.

 

– Tondela: Babacar Niasse, Modibo Sagnan, Marcelo Alves, Eduardo Quaresma, Tiago Almeida (Bebeto, 69), Pedro Augusto (João Pedro, 56), Iker Undabarrena (Tiago Dantas, 69), Neto Borges, Salvador Agra (Juan Manuel Boselli, 82), Rafael Barbosa e Daniel dos Anjos (Renat Dadashov, 56).

Suplentes: Pedro Trigueira, João Pedro, Juan Manuel Boselli, Renat Dadashov, Bebeto, Tiago Dantas e Ricardo Alves.

Treinador: Nuno Campos.

 

Árbitro: Rui Costa (AF Porto).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Marcelo Alves (20), Marko Grujic (77), Rafael Barbosa (83) e Francisco Conceição (85).

Assistência: 26.905 espetadores.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link