Conecte-se connosco

Região

Diana nasceu numa ambulância dos Bombeiros de Oliveira do Hospital em pleno IC2

Publicado

em

Uma menina nasceu ontem à noite, no IC2, na zona da Pedrulha, em Coimbra, quando a mãe estava a ser transportada numa ambulância dos Bombeiros de Oliveira do Hospital para a maternidade. O parto foi feito por um bombeiro e por uma médica do INEM. 

O alerta para socorrer a grávida, na localidade de Bobadela, em Oliveira do Hospital, chegou ao quartel às 21:20. A mulher, que já tinha um menino com cerca de três anos, estava com contrações de 20 em 20 minutos, contou ao Notícias de Coimbra Paulo Tavares, que conduzia a ambulância. Na viatura seguia também o bombeiro Pedro Costa.

“Solicitámos logo ajuda diferenciada, através da Viatura Médica de Emergência e Reanimação, e dirigimo-nos para Coimbra, para a Maternidade Bissaya Barreto”, disse o bombeiro, revelando que tentou, “sempre em segurança, que a viagem se despachasse para evitar o parto na estrada”. Mas a pequena Diana estava com pressa de nascer.

“Estávamos ali a chegar ao cruzamento da Pedrulha quando o meu colega me diz que se estava a ver a cabeça do bebé e tivemos mesmo que parar”, descreve Paulo Tavares que nunca se tinha visto numa situação como esta. “Uma vez houve um que nasceu logo à chegada da unidade hospitalar, mas assim nunca me tinha acontecido. Quando corre tudo bem, como foi o caso, é uma grande felicidade”, comenta.

“Foi mesmo no IC2. Fiquei perplexo, nem a mãe estava a contar que fosse tão rápido”, revelou Pedro Costa, que já fez muitos transportes mas nenhum como este. “Ficámos todos super felizes”, disse. 

Eram 22:30 quando se ouviu o choro de Diana. “Chorou logo depois de nascer e depois ficou logo tranquila, não se ouviu mais”, descreve o elemento da corporação. “Foi muito rápido. Foram dois minutos. E a mãe também esteve sempre muito calma”, acrescenta.

Paulo Tavares tem 48 anos e é bombeiro na corporação de Oliveira do Hospital há 30. O “parteiro” Pedro Costa tem 25 e está há cerca de sete anos ao serviço dos bombeiros. Os dois têm agora uma história feliz para contar, assim como terá a pequena Diana, que se junta ao irmão e aos pais. Para já ainda está com a mãe na Maternidade Bissaya Barreto mas ambas estão bem de saúde. 

 
 

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade