Conecte-se connosco

Economia

Despesa com apoios da Segurança Social soma 804,9 milhões de euros no 1.º trimestre de 2021

Publicado

em

A despesa com medidas extraordinárias da Segurança Social decorrentes da pandemia somou 804,9 milhões de euros no primeiro trimestre, representando 42% da despesa de todo o ano 2020 e superando o total orçamentado para 2021, informou hoje o Governo.

Em comunicado, o Ministério das Finanças destaca os 502 milhões de euros relativos a medidas de apoio aos custos de trabalho, dos quais 272,6 milhões de euros relacionados com o ‘lay-off’ simplificado e 229,4 milhões de euros com o apoio extraordinário à retoma progressiva de atividade.

Segundo nota o executivo – que divulgou hoje estes dados em antecipação à síntese de execução orçamental, que será publicada na segunda-feira -, “este valor representa 51% da execução de todo o ano de 2020”.

Já no âmbito das medidas apoio ao rendimento dos trabalhadores (incluindo trabalhadores independentes) foram executados 155,4 milhões de euros, o equivalente a 43% da execução do ano passado.

O total de 804,9 milhões de euros em medidas extraordinárias da Segurança Social até março inclui ainda apoios na ordem dos 147,4 milhões de euros em outras prestações sociais, designadamente o apoio excecional à família (33,8 milhões de euros), subsídio de doença covid (48,3 milhões), prestações por doenças profissionais (2,7 milhões), isolamento profilático (51,6 milhões) e subsídios de assistência a filho e a neto (10,8 milhões).

Para todo o ano em curso, o valor orçamentado pelo Governo para despesa com medidas extraordinárias da Segurança Social no âmbito da pandemia era de 776 milhões de euros.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade