Região

Desfile do traje em Arzila envolve 250 figurantes da região de Coimbra

Notícias de Coimbra com Lusa | 2 semanas atrás em 15-05-2024

Cerca de 250 figurantes de 32 grupos filiados na Federação do Folclore Português (FFP) vão integrar no sábado, 18 de maio, em Arzila, Coimbra, um desfile do traje da região do Mondego.

PUBLICIDADE

Promovida pelo Grupo Folclórico e Etnográfico de Arzila, no âmbito das comemorações do seu 50.º aniversário, a iniciativa decorre a partir das 21:30, no largo da Igreja de Arzila.

“Participam no desfile agrupamentos de vários concelhos, desde Arganil e Penacova, na zona serrana, passando por Coimbra e até à Figueira da Foz”, disse hoje à agência Lusa Arménio Santa, da organização.

PUBLICIDADE

Com esta exibição em movimento, no centro da localidade, em território da União de Freguesias de Taveiro, Ameal e Arzila, “serão de alguma forma mostrados diversos trajes dos fins do século XIX e do início do século XX”.

“Acreditamos que vai ser um evento muito forte, a demonstrar que o folclore, enquanto conhecimento do povo, não é só cantar e dançar em cima de um palco”, acrescentou o músico.

PUBLICIDADE

O público poderá apreciar os trajes de pescador, ceifeira, paliteira, vendedeira de queijadas, cortadores do bunho nos pauis do Baixo Mondego, lenhador, carvoeiro, salineira e marnoto, bem como os de romaria, de ‘ver a Deus’ e noivos, entre outros.

Participam grupos das regiões da Gândara, Bairrada e Mondego, que representam “diversos quadros etnográficos, mostrando diferentes características dos trajes, expressões também das comunidades envolventes e sobreviventes do que o Mondego lhes dava, mas também das trocas e interações com a cidade de Coimbra”, segundo a coletividade anfitriã.

“Da zona mais serrana até à foz do Mondego, será possível apreciar mais de 200 trajes que, numa viagem pelo tempo, recuperarão alguma memória coletiva”, salientou Arménio Santa.

A iniciativa conta com o apoio das seguintes entidades: Câmara Municipal de Coimbra, União de Freguesias de Taveiro, Ameal e Arzila, Fundação Inatel, FFP e Associação de Folclore e Etnografia da Região do Mondego (AFERM).

O Grupo Folclórico e Etnográfico de Arzila está a comemorar 50 anos de atividade com um diversificado programa, sob o lema “50 Anos, 50 Eventos”, que abrange realizações culturais a decorrer até fevereiro de 2025.

Related Images:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE