Conecte-se connosco

Coimbra

Crianças de Botão chegam atrasadas à escola devido a falhas nos SMTUC (com vídeos)

Publicado

em

As crianças em idade escolar residentes na localidade de Botão, no concelho de Coimbra, estão a chegar atrasadas às aulas por causa de falhas dos autocarros dos SMTUC (Serviços Municipalizados dos Transportes Urbanos de Coimbra). A denúncia foi feita por duas mães ao NDC, mas a autarquia confirma que já chegaram várias reclamações aos serviços. A Junta de Freguesia compromete-se a encontrar uma solução até ao final da semana. 
O autocarro número 52, que transporta as crianças de Botão que frequentam a Escola D. Dinis e a Escola Rainha Santa Isabel, deveria passar no interior da localidade às 07:45 para deixar os alunos antes das 08:20 (hora de entrada), mas está a passar às 08:15 e há dias que nem sequer passa. Quem o garante é Catarina Quintas, mãe de duas crianças, de 9 e 15 anos. “Supostamente o autocarro sai da Póvoa do Loureiro às 7:35 e estará a passar em Botão por volta das 7:45 e assim foi durante um tempo. As crianças, que têm de entrar às 8:20, apanhavam este autocarro e tudo corria bem, mas de repente, e sem haver qualquer justificação da parte dos SMTUC, esse autocarro começou a chegar às 8:15”, lamenta.
“Como é óbvio as crianças chegam atrasadas à escola, já para não falar que estão na paragem ao frio e à chuva meia hora”, aponta a progenitora. Como agravante, ultimamente, o autocarro começou a passar apenas fora da localidade, deixando para trás os passageiros que aguardam no Botão. “Ontem não apareceu, hoje levei-os para uma paragem no cruzamento fora da localidade e o autocarro veio. Eu só queria saber a que horas é o autocarro amanhã. A que horas mando a minha filha para a paragem?”, pergunta esta mãe, dizendo que já contactou os SMTUC por telefone e email, assim como o presidente da União de Freguesias, mas não obteve respostas.
“As falhas sentidas no horário da manhã é o que nos causa mais transtorno. O autocarro nem sempre passa nas mesmas paragens, as crianças esperam meia hora e não têm a certeza se vai passar”, afirma Teresa Santos, mãe de uma criança de 9 anos que habitualmente usa o transporte público. Também ela tentou contactar os SMTUC e foi-lhe garantido que nenhum autocarro tinha sido suspenso, o problema, explicaram-lhe, “está nas avarias”.
As dificuldades estão a ser minimizadas com o esforço dos pais, que recorrem a boleias. “Nem me souberam dizer quando é que a situação voltava à normalidade. Era muito importante dizerem-nos isso, porque nós é que estamos a resolver, pondo em risco também a nossa chegada ao trabalho a horas”, critica Teresa Santos.
Ao NDC Rui Soares, presidente da União de Freguesias de Souselas e Botão, confirmou que está a acompanhar o caso. “Isto é um problema para nós e estamos, em conjunto com o executivo da Câmara Municipal de Coimbra, a tentar resolver a situação o mais rapidamente possível”, assegurou em entrevista ao NDC.
O autarca, eleito pela coligação Juntos Somos Coimbra, adianta que há “56 autocarros avariados” e que “assim é impossível  haver autocarros para chegar a todo o lado”, sustentando que as falhas estão a ocorrer em todo o concelho.
Na semana passada José Manuel Silva, presidente da Câmara de Coimbra, tornou público que há 46 autocarros dos SMTUC “parados”. Estes veículos “fazem parte de um universo de 123, representando uma taxa de imobilização de aproximadamente 30%”, esclareceu ao NDC fonte do município. A autarquia não sabe dizer desde quando é que os autocarros estão avariados, nem confirma que haja mais 10 parados esta semana, dizendo que “a imobilização tem sido dinâmica”.
Confirmando que já chegaram aos SMTUC várias reclamações sobre o caso de Botão, a Câmara Municipal adianta que a situação está a ser acompanhada mas não se compromete com uma solução concreta. ” A CM de Coimbra já identificou os problemas dos SMTUC, mesmo enquanto Ana Bastos e José Manuel Silva eram vereadores da oposição. Em relação às soluções, está a trabalhar nelas com todo o empenho e afinco”, no entanto sublinha que desde a tomada de posse até agora “não é tempo suficiente para implementar soluções que decorrem de 8 anos de falta de investimento e de planeamento”.
A autarquia acrescenta que está a ser elaborado pelo Conselho de Administração dos SMTUC um “relatório real” que permitirá ajudar na tomada de decisão para as soluções e refere que nas oficinas dos serviços têm sido feitas “horas extraordinárias” para dar resposta aos problemas de mecânica.
No caso concreto do Botão, Rui Soares revela que a população vai ser informada com um comunicado oficial e que a solução poderá passar por suprimir alguns horários, garantindo que há autocarros nas alturas mais necessárias. Poderá também ser pedido “um sacrifício às pessoas para se levantarem um pouco mais cedo ou ajustar os seus horários”, assume, comprometendo-se com uma resposta até ao final da semana e não descartando a possibilidade de ser a junta a transportar as crianças, se tal for necessário.
Veja o direto NDC com Catarina Quintas, mãe de duas crianças:
Veja o direto NDC com Teresa Santos que tem uma filha em idade escolar:
Veja o direto NDC com Rui Soares, presidente da União de Freguesias de Souselas e Botão:

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link