Portugal

CP realiza 5 comboios até às 12:00 dos 557 que estavam programados

Notícias de Coimbra com Lusa | 1 ano atrás em 09-02-2023

 A greve dos trabalhadores da CP, que começou na quarta-feira, suprimiu entre as 00:00 e as 12:00 de hoje, 552 comboios, disse oficial da operadora ferroviária à Lusa.

PUBLICIDADE

Segundo fonte da empresa, estavam programados, no total, 557 comboios, tendo sido realizados cinco e suprimidos 552.

Em declarações à Lusa cerca das 07:00, António Domingues, do Sindicato Nacional dos Maquinistas dos Caminhos de Ferro Portugueses (SMAQ), disse que a greve estava a decorrer dentro dos parâmetros, com uma adesão de 100%.

PUBLICIDADE

publicidade

No seu ‘site’, a CP já tinha alertado os passageiros para perturbações na circulação a partir de quarta-feira, dia 08, e até dia 21 de fevereiro.

“Por motivo de greves, convocadas pelos Sindicato Nacional dos Maquinistas dos Caminhos de Ferro Portugueses (SMAQ), Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Setor Ferroviário (SNTSF) e Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante (SFRCI), ocorrerão fortes perturbações na circulação de comboios, a nível nacional, no período entre as 00:00 do dia 08 de fevereiro de 2023 e as 24:00 do dia 21 de fevereiro de 2023”.

PUBLICIDADE

Em declarações hoje à Lusa, António Domingues explicou que a greve tem vários parâmetros e não foram decretados serviços mínimos.

O sindicalista disse também à Lusa que na origem da greve está a falta de resposta da empresa às propostas de valorização salarial.

“Os motivos são os mesmos de sempre. Há uma componente que tem a ver com o salário. A proposta da empresa/tutela é muito aquém do que o que foi a inflação registada em 2022. É menos de metade. Significa que há cortes no salário real, não são cortes diretos, nominais, mas indiretos, nalguns casos superiores aos que existiram durante a ‘troika’ e isso nós não aceitamos”, realçou.

António Domingues sublinhou que os trabalhadores exigem que haja, no mínimo, a reposição do poder de compra.

Além dos maquinistas da CP, estão igualmente hoje em greve os trabalhadores da Infraestruturas de Portugal (IP) para exigir aumentos salariais que responda ao aumento do custo de vida.

De acordo com informação divulgada na página da Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (Fectrans), estão em greve os trabalhadores da IP-Infraestruturas, da IP-Telecom, da IP-Engenharia e da IP-Património.

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE