Conecte-se connosco

Saúde

Covid-19: Portugal com 713 novos casos, cinco mortes e subida em cuidados intensivos

Publicado

em

Portugal regista hoje cinco mortes atribuídas à covid-19, 713 novos casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2 e uma subida nos internamentos em unidades de cuidados intensivos (UCI), segundo os dados divulgados pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Hoje estão internadas em UCI mais sete pessoas, num total de 83 pacientes, e menos duas pessoas em enfermaria, onde agora se encontram 408 doentes com covid-19.

A maior parte das novas infeções diagnosticadas nas últimas 24 horas estão repartidas pela zona de Lisboa e Vale do Tejo (266 novos casos) e pelo Norte (204 novos casos), de acordo com o boletim epidemiológico da DGS.

As mortes ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo (1), Norte (2) e Centro (2).

Desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram em Portugal 17.952 pessoas e 1.066.346 casos de infeção foram diagnosticados.

Os cinco óbitos contabilizados nas últimas 24 horas dizem respeito a pessoas com mais de 80 anos, dois homens e três mulheres.

No balanço desde o início da pandemia, o maior número de óbitos continua a concentrar-se nos idosos com mais de 80 anos, seguidos da faixa etária entre os 70 e os 79 anos.

Do total de vítimas mortais registadas, até à data, em Portugal 9.413 eram homens e 8.539 mulheres.

Os dados divulgados pela DGS mostram também que estão ativos menos 278 casos, para um total de 31.481, e que 986 pessoas foram dadas como recuperadas da doença nas últimas 24 horas, o que aumenta o total nacional para 1.016.913 recuperados.

Nas últimas 24 horas, o número de contactos em vigilância pelas autoridades de saúde subiu (mais 317), situando-se nos 28.604.

O novo coronavírus já infetou em Portugal pelo menos 492.581 homens e 573.034 mulheres, segundo mostram os dados da DGS.

A entidade informa igualmente a existência de 731 casos de infeção em pessoas de sexo desconhecido, que se encontram sob investigação, uma vez que esta informação não é fornecida de forma automática.

A destacar os valores da faixa etária dos 0-9 anos, com 108 novas infeções observadas, e do grupo dos 30-39, com 97 novos casos.

Numa das faixas etárias mais vulnerárias ao novo coronavírus, as pessoas com mais de 80 anos, os novos casos diagnosticados nas últimas 24 horas não ultrapassaram os 50.

O índice de transmissibilidade (Rt) do novo coronavírus SARS-Cov-2 em Portugal (a nível nacional) – que estima o número de casos secundários de infeção resultantes de uma pessoa com o vírus – mantém-se em 0,83 e a taxa de incidência de casos de infeção por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias está, também a nível nacional, nos 127,3.

Os dados do Rt e da incidência são atualizados à segunda-feira, quarta-feira e sexta-feira.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificadas 266 novas infeções, contabilizando-se até agora nesta área geográfica 412.491 casos e 7.669 mortos.

A região Norte observou 204 novas infeções por SARS-CoV-2, totalizando 409.363 casos de infeção e 5.549 óbitos desde o início da crise pandémica.

Na região Centro registaram-se mais 85 casos, perfazendo 142.447 infeções e 3.140 mortos.

No Alentejo foram assinalados mais 63 novos casos de infeção, totalizando 38.682 contágios e 1.022 mortos desde o início da pandemia.

Na região do Algarve, o boletim de hoje da DGS informa que foram registados 70 novos casos, acumulando-se 42.384 contágios pelo SARS-CoV-2 e 458 óbitos.

A região Autónoma da Madeira contabilizou 14 novos casos, somando 12.187 infeções e 72 mortes devido à doença covid-19 desde março de 2020.

Nas últimas 24 horas, e segundo a DGS, os Açores apresentaram 11 novos casos, o que eleva para 8.792 contágios desde o início da pandemia. O número de óbitos mantém-se nos 42.

As autoridades regionais dos Açores e da Madeira divulgam diariamente os seus dados, que podem não coincidir com a informação divulgada no boletim da DGS.

A covid-19 provocou pelo menos 4.725.638 mortes em todo o mundo, entre mais de 230,5 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse (AFP).

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade