Coimbra

Coveiro dos tróleis volta a pairar na Câmara de Coimbra

Notícias de Coimbra | 3 semanas atrás em 27-05-2024

Os vereadores do Partido Socialista apresentaram, esta segunda-feira, 27 de maio, na reunião do executivo municipal de Coimbra, uma moção: “Pela preservação dos troleicarros de Coimbra como meio de mobilidade elétrica sustentável e fator identitário da cidade”.

PUBLICIDADE

Para Regina Bento “a rede de tróleis da cidade de Coimbra, inaugurada em 1947, é a única atualmente em funcionamento em Portugal”, sublinhando a necessidade de se preservar a história viva da cidade.

Os  autarcas socialistas defendem que se  “assegure a preservação dos troleicarros  como meio de mobilidade elétrica sustentável e fator identitário da cidade, garantindo a reposição da rede de tração que foi removida em diversos pontos, de modo a permitir, pelo menos, restabelecer o circuito para o funcionamento de uma linha eminentemente turística, num percurso alternativo ao do metrobus, designadamente através da reposição da antiga linha 103 num percurso que passa por importantes pontos turísticos de Coimbra, como a Rua da Sofia, classificada como Património Mundial da Unesco, assim como a Alta Universitária e o Penedo da Saudade”.

PUBLICIDADE

A vereadora socialista disse que “o executivo anterior sempre defendeu os tróleis. Isso era do conhecimento geral de todos. Ao ponto de, em 2018, terem sido reunidas condições para os tróleis voltarem a circular na cidade, como foi público e notório, depois de reparada a rede de tração nalguns pontos, substituídos postes e recuperados  cinco troleicarros”.

Recorde-se que na última reunião, José Manuel Silva divulgou um ofício da Infraestruturas de Portugal (IP), no qual não está prevista a reposição de tróleis na cidade por o anterior executivo municipal (PS) não ter dado qualquer indicação nesse sentido.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

Na sua intervenção, Regina Bento lembrou que vir com  “ofício da IP para imputar responsabilidades ao anterior executivo sobre esta questão é de uma desonestidade atroz”, acrescentando que “efetivamente, o anterior executivo não deu qualquer indicação para a retirada da rede de tração”.

“Foi com este Executivo que a rede de tração foi retirada em vários pontos da cidade. Foi com este executivo que os velhinhos, mas robustos, troleicarros foram para a sucata”, acrescentou a socialista, referindo que “nunca em nenhuma altura se colocou a hipótese de arrancar a rede de tração.

A vereadora da oposição deixou algumas perguntas: “Quem autorizou esse desmantelamento? Onde estão as deliberações dos Órgãos Municipais, da Câmara e da Assembleia Municipal a autorizar o desmantelamento dessa infraestrutura municipal? E quais foram as contrapartidas negociadas com o Estado? E o que foi feito aos kms de cobre que foram retirados?”.

Regina Bento sublinha que  “todo este processo tem decorrido de forma muito pouco transparente, e agora o Sr. Presidente quer, como sempre, sacudir a água do capote e pôr as culpas nos outros”.

“O Sr. Presidente é mesmo o coveiro dos tróleis, não tenhamos dúvidas disso!”, concluiu.

Em resposta, José Manuel Silva garante: “nós vamos publicar a carta da IP para que toda a gente veja de que lado está a verdade”.

O edil diz que o anterior executivo não assegurou, no âmbito da definição do projeto do  Sistema de Mobilidade do Mondego , uma “contrapartida da reposição de uma linha de tração dos tróleis, compatível com o ‘metrobus’”.

O autarca salientou que a vereadora Regina Bento ” gosta de fazer o seu filmezinho, mas que não desmentiu a carta da IP”.

José Manuel Silva adianta que “as notícias da morte dos tróleis são manifestamente exageradas”.

A moção do PS acabou por não ser votada. “Voltaremos a este assunto”, disse o presidente da Câmara Municipal.

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE