Conecte-se connosco

Desporto

Costinha é funcionário da Académica a título temporário

Publicado

em

Durante a conferência de imprensa realizada no passado dia 3 de Setembro, o treinador “Costinha”, entre outras declarações reproduzidas nos órgãos de comunicação social, disse o seguinte: “Foram muitas coisas que se fizeram mal no passado, não foi só a descida, mas tudo o que envolve a descida. Havia ordenados para pagar, IVA para pagar e tirando Benfica, Porto, Sporting e Braga devia ser o único clube que não tinha cláusulas de descida no plantel”.

jesa

Que se saiba, “Costinha” é funcionário da Académica, SDUQ, a título temporário, salienta JES em comunicado enviado a NDC.

O ex-líder da AAC/OAF acrescenta que “não é gestor nem conhece minimamente o passado recente da Académica, nem sequer o regime legal da contratação colectiva dos jogadores profissionais. Está totalmente alheio à realidade dos clubes e é irresponsável ao criticar dirigentes que muito fizeram pela Académica”.

Presume, não sabe, acusa JES: E presume mal quando aborda matérias que não conhece, não percebe, não entende, não estudou, não praticou, não está preparado, não compreende, não é competente nem é da sua competência enquanto funcionário da Académica.

Se as declarações que produziu foram a pedido ou para continuar nas boas graças de quem o contratou, mostrou não só ignorância, mas também impreparação e falta de inteligência.

O treinador “Costinha” foi contratado para treinar a equipa profissional da Académica. Tem obrigação de o fazer com competência (e enquanto cá estiver não serei eu, por razões de coerência, a pôr em causa essa competência), colocando a Briosa a jogar bem, a ganhar e, beneficiando, como diz, do “extraordinário apoio da actual Direcção” (aliás, será a gerência da SDUQ a que queria referir), fazer regressar a Académica à 1ª Liga no final desta época, refere JES.

É isso, e apenas isso, que os sócios desejam, anseiam e esperam, e se exige ao treinador “Costinha”, utilizando as “magníficas condições de trabalho das instalações desportivas da Académica”, nas suas próprias palavras.

“Já agora,  será bom explicar ao treinador “Costinha” que essas instalações e condições não caíram do céu. Foram da exclusiva responsabilidade das Direcções a que presidi. Pelo menos nesta matéria sempre fica a saber algo da história da Académica”, conclui JES.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link