Economia

Conselho Empresarial do Centro satisfeito com resultado do projecto Fincentro

Notícias de Coimbra | 11 anos atrás em 25-10-2013

O projeto Fincentro, lançado pelo Conselho Empresarial do Centro e iniciado em 2013, formou empresários para melhor os preparar para o financiamento, pretendendo “estender” o projeto a mais empresas interessadas.

PUBLICIDADE

“Havia um problema de financiamento e, com este projeto, os empresários conseguiram dar um equilíbrio às suas empresas e a saber como procurarem financiamento”, explicou José Couto, presidente do Conselho Empresarial do Centro (CEC), à margem do Seminário de Encerramento do Projeto Fincentro, que se realizou hoje.

O Fincentro apoiou 15 empresas da região Centro, em ciclos de vida e setores diferentes, dando formação e prestando consultoria com uma equipa com membros externos e do CEC.

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE

publicidade

O programa ajudou as empresas “a encontrarem soluções à sua medida” e preparou-as para um “financiamento mais equilibrado”, focando-se na “procura do sucesso” a partir da informação e formação adquiridas, disse o presidente do CEC à agência Lusa.

PUBLICIDADE

Numa fase em que é cada vez mais difícil aceder ao crédito, o presidente do CEC frisou a importância do conhecimento acerca de formas de financiamento, constatando um “défice de formação” dos empresários portugueses.

José Couto frisou que o grau de satisfação das empresas em relação ao Fincentro “foi altíssimo” e que há um maior interesse na formação por parte de empresários.

“Com este projeto cria-se uma forma diferente de pensar, ajudando a desenhar uma solução de hoje para as empresas”, referiu.

Afonso Martins, diretor de comunicação de uma das empresas apoiadas, afirmou, durante a sua apresentação no seminário, que o Fincentro permitiu “pensar numa estratégia para a empresa e saber onde e como se vai financiar”.

“Aqui não deram o peixe. Ensinou-se a pescar”, frisou.

Gonçalo Abreu, de uma empresa de sistemas de intervenção que também foi ajudada pelo programa, referiu que, hoje, a empresa “está mais bem equipada para falar com instituições financeiras”, facilitando o próprio financiamento.

Related Images:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE