Conecte-se connosco

Região

Condeixa acolhe refugiados junto de familiares e em centro temporário

Publicado

em

O município de Condeixa-a-Nova já recebeu 32 refugiados ucranianos desde o início da invasão russa da Ucrânia, na sua maioria instalados em casa de familiares residentes no concelho.

“Três deles foram acolhidos num centro de acolhimento temporário”, informou hoje em comunicado a Câmara Municipal, presidida por Nuno Moita da Costa.

Do grupo de 29 cidadãos acolhidos por familiares, “treze são crianças e jovens que (…) já foram integrados em equipamentos escolares”.

“O município de Condeixa entende disponibilizar a sua solidariedade (…) oferecendo apoio em três fases: no acolhimento, na legalização e na integração profissional e nas escolas”, afirma Nuno Moita da Costa.

Citado na nota, o autarca adianta que, “dentro de dias, terá início um curso, em Condeixa, de aprendizagem da língua portuguesa, em articulação com o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP)”.

A Câmara de Condeixa-a-Nova, no distrito de Coimbra, “disponibiliza um centro de acolhimento de emergência temporário, no espaço da antiga escola de Bruscos, para deslocados da guerra na Ucrânia que venham para o concelho e que possam desta forma encontrar (…) um local seguro e acolhedor”.

O centro “tem capacidade para receber 16 pessoas, incluindo recém-nascidos, tendo o alojamento sido apetrechado com o apoio” da empresa local Dominó – Indústrias Cerâmicas.

“Além das camas, o espaço dispõe de acesso à internet e televisão, cozinha equipada e bens de primeira necessidade não perecíveis”, segundo a autarquia.

Neste centro de acolhimento, “encontram-se já três cidadãos deslocados da Ucrânia, encaminhados pelo Alto Comissariado para as Migrações, dos quais dois com nacionalidade indiana e um com nacionalidade ucraniana, tendo sido já realizados todos os procedimentos legais”.

“As refeições (…) estão a ser asseguradas pela Santa Casa da Misericórdia, os cuidados de higiene pessoal fornecidos pelo município e o plano de vacinação garantido pelo Centro de Saúde”, enquanto a integração na comunidade “está a ser acompanhada por uma ucraniana voluntária”.

“O município de Condeixa compromete-se ainda a integrar refugiados através da medida Contrato Emprego Inserção Mais (CEI+), especificamente cidadãos ucranianos que estão a beneficiar de proteção temporária no trabalho”, de acordo com a nota.

As empresas que pretendam empregar estas pessoas “devem registar-se na plataforma de recolha de ofertas de emprego, criada pelo IEFP”: https://www.iefp.pt/portugal-for-ukraine?tab=contratar-cidadaos-ucranianos.

Podem ainda contactar o Gabinete de Inserção Profissional de Condeixa, através do telefone 239249427 ou do e-mail [email protected]

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link