Conecte-se connosco

Coimbra

Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Montemor-o-Velho reforça que “Ser feliz é um direito!” com canção e “videoclip”

Publicado

em

O lançamento do vídeoclip da canção “Ser feliz é um direito!”, um tema inédito com letra e música originais de Cláudio Dias, foi um dos pontos altos do programa promovido pela CPCJ de Montemor-o-Velho para, neste mês de abril, fazer chegar a mensagem a um público mais alargado. À boleia do lema nacional “Serei o que me deres…que seja amor”, a canção “Ser feliz é um direito!” pretende ser um mote para que todas as crianças possam sonhar bem alto e ser felizes.

As melodiosas vozes de Rita Cordeiro, Bárbara Miguéis e Cláudio Dias mostram-nos a importância do respeito, da tolerância, do carinho, da vontade e do querer no crescimento das crianças e jovens e gritam bem alto: “Ser feliz é um direito meu!”

“Ser feliz é um direito de cada criança, de cada jovem, de cada pessoa, e é obrigação de todos nós, enquanto sociedade, estarmos atentos, protegermos e defendermos quem não tem voz. Ainda há um longo caminho a percorrer, mas a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Montemor-o-Velho continua a trabalhar na defesa das crianças e jovens do concelho. E a alertar e consciencializar para a importância que um olhar ou um gesto assumem. Muitas vezes são pedidos de socorro que não podem, nem devem ser ignorados.” As palavras são de Diana Andrade, presidente da CPCJ de Montemor-o-Velho, e que, em jeito de balanço, marcam o final da campanha Abril – Mês da Prevenção dos Maus Tratos na Infância e Juventude, desenvolvida pela Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens e à qual a estrutura montemorense se voltou a associar este ano.

Para Diana Andrade “este ano, procurámos reforçar a proximidade com os presidentes de Junta. Conseguiremos defender melhor os interesses das crianças e jovens do nosso concelho se continuarmos a aprofundar a relação com as diversas entidades e instituições”. Nessa senda, foi dirigido convite a todos os presidentes de Junta para reuniões individuais nas instalações da CPCJ, no sentido de dar a conhecer o propósito da Comissão, bem como as diversas formas de intervenção em rede na salvaguarda das crianças e jovens.

Durante o mês, o Castelo de Montemor-o-Velho foi um dos palcos utilizados para alertar para os maus-tratos na infância e juventude e incentivar ao debate sobre o tema, com o hastear da bandeira da Comissão e com a colocação de iluminação led de cor azul em algumas ameias daquela fortificação.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link