Coimbra

Coimbra Gold Card

Notícias de Coimbra | 9 anos atrás em 14-11-2014

unnamed (3)

PUBLICIDADE

Mal se soube do escândalo, o “GPS do Notícias de Coimbra” foi o 1º meio de comunicação social a indicar que  a cidade dos Doutores e Estudantes está na rota da alegada rede de corrupção dos Vistos Gold.

Hoje,  os conceituados Diário Económico e Jornal de Notícias também exploram a pista da velha escola de Direito de Coimbra.

PUBLICIDADE

O jornal de Notícias acrescenta que foram feitas buscas em casa de António Figueiredo. Estamos a falar de uma residência na Rua Gago Coutinho, na Solum.

O diário portuense também noticía que a Coimbra Editora também recebeu  visita dos investigadores, por causa de um negócio entre o IRN e os livreiros, contando que João Salgado, o administrador da empresa, foi estagiário do escritório de advogados que Figueiredo teve com Oliveira. NDC pode adiantar que estamos a falar do prédio da Torricentro, na Simões de Castro.

PUBLICIDADE

O JN revela ainda que Susana Figueiredo, a titular do inquérito no DIAP é natural da cidade e recorda que Almeida Rodrigues e Pedro Carmo, da PJ, também estão ligados a Coimbra.

O diário da Ongoing acrescenta que Albertina Gonçalves,  a secretária geral do Ministério do Ambiente que acaba de pedir a demissão, sócia de Miguel Macedo numa sociedade de advogados, também foi foi colega dele em Coimbra.

Sem aprofundar a ligação a Coimbra, o Público, fala na “Operação Labirinto” e “conta que Ana, filha de António, referenciada como uma das proprietárias da Golden Visa Europe, também é sócia de Marques Mendes e de Miguel Macedo na consultora JMF.

Os diários de âmbito nacional divergem em relação ao marido de Maria Antónia Anes. Uns dizem que é companheira do presidente do IRN e outros que é do director do SEF.

O Correio da Manhã afirma que Manuel Palos, o director do SEF, é conhecido pelo “senhor 10%” e revela que Antero Luís, ex-diretor do SIS, foi apanhado a mover influência para um amigo vender uma casa a um estrangeiro.

A SÁBADO apurou que existirão intermediários a ganhar entre 5% e 25% dos investimentos oficiais em imóveis adquiridos com base nas facilidades concedidas pelos visto dourados.

A generalidade dos periódicos regista que os líderes do SEF e IRN têm sobrevivido a várias mudanças de governo e que Miguel Macedo, que a PGR já disse não ser suspeito de estar metido nisto, ficou  “chamuscado”.

O que ainda não foi dito é que Celeste Cardona, a Ministra da Justiça que nomeou António Figueiredo para a então Direcção Geral dos Registos e Notariado, por suposta indicação de Miguel Macedo, também está ligada a Coimbra por via do casamento com Luís Queiró, o antigo eurodeputado que é irmão do ex-Secretário de Estado do Ensino Superior, João Queiró e do presidente da CP, Manuel Queiró.

Manuel Jarmela Palos é defendido por João Medeiros (patrocinou João Rendeiro, entre outros), líder da Equipa de Contencioso Penal da PMLJ, onde pontifica o conimbricense José Miguel Júdice.

Rui Patrício, advogado de José Penedos no caso Face Oculta, representa António Figueiredo.

A RTP está a adiantar que António Figueiredo é quem está na cúpula do alegado esquema, negócio que partilhava com o chinês  Zhu Xiadong, beneficiando da cumplicidade do líder do SEF e de um director da Casa da Moeda, entidade que emitia os cartões.

O jornal Campeão das Províncias escreve que o escritório do advogado Amaro da Luz também foi alvo de busca, acrescentado que este tem relações com o seu colega João Salgado, da Coimbra Editora.

Ontem, NDC escreveu que:

António Figueiredo,  Presidente do Instituto dos Registos e Notariado (IRN), reside em Coimbra, onde foi advogado (partilhou escritório com Luciano Oliveira, antigo nº 2 do SIS, que entretanto saiu para Macau)  e director de informação da Rádio Actividade, que depois deu origem à 90 FM, da Beirastexto, empresa que foi proprietária do diário As Beiras.

António, que  nos últimos 10 anos tem ocupado cargos na estrutura do Estado tanto com governos do PS como do PSD/CDS, é amigo pessoal de Miguel Macedo, Ministro da Administração Interna (Licenciado em Coimbra), governante que também pode estar a ser alvo de investigação.

O líder do IRN foi visto recentemente numa sessão da candidatura de António Costa a “Primeiro Ministro”, tendo feito questão de saudar o futuro Secretário geral do PS à entrada do Pavilhão Centro de Portugal.

Ana Figueiredo, filha do presidente do IRN, é uma das 6 sócias de empresa Golden Vista Europe, uma imobiliária ligada a investidores da China, país de onde vieram grande parte dos cidadãos estrangeiros que efectuaram aquisições de imóveis em Portugal.

Manuel Jarmela Palos, Director do Serviço de Estrangeiros (SEF), natural do Sabugal,chefiou a delegação da entidade na região Centro, entidade que tem sede em Coimbra.

Maria Anes, a Secretária Geral do Ministério da Justiça também foi detida no âmbito desta investigação e que já trabalhou no IRN, chegou a ser adjunta de Aguiar Branco, quando o actual Ministro da Defesa tinha a pasta da Justiça, que também é licenciado em Direito pela Universidade de…Coimbra.

A Procuradoria Geral da República confirmou que no âmbito de um inquérito, dirigido pelo Ministério Público e que corre termos no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), e onde se investigam, entre  outras, matérias relacionadas com a atribuição de vistos gold, na sequência de diligências hoje desencadeadas foram efetuadas 11 detenções.

Entre os detidos encontram-se o presidente do Instituto dos Registos e Notariado, o  director nacional do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras e a secretária-geral do Ministério  da Justiça.

Foram também realizadas seis dezenas de buscas em vários pontos do país, incluindo nos  ministérios da Administração Interna, da Justiça e do Ambiente, Ordenamento do  Território e Energia. Estas buscas destinaram-se à recolha de informação relacionada com  departamentos, serviços e funcionários daqueles ministérios e não visavam membros do
governo.

Nesta investigação, o Ministério Público é coadjuvado pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC) da Polícia Judiciária (PJ).

O inquérito, que investiga suspeitas de crimes de corrupção, tráfico de influências, peculato e branqueamento de capitais, encontra-se em segredo de justiça, mas já se sabe que em causa, estão entre outros negócios com  angolanos e chineses e a emissão “quase na hora” dos vistos dourados.

A esta hora, 16: 30, os detidos ainda não foram presentes ao juiz de instrução criminal, facto que se deverá à necessidade de compilar tudo o que foi encontrado ontem.

O Expresso deste sábado publica que “PJ apanhou o líder do SIS a ajudar suspeito dos vistos gold”. Horácio Pinto e dois funcionários  da secreta foram fotografados durante ação à sede do IRN no Campus da Justiça.

Os detidos foram identificados durante a noite de sexta-feira. Devem ser interrogados durante o dia de sábado.

Em actualização

Se o eleitor  tiver alguma informação que ajude a completar esta notícia, agradecemos que envie para:

info@noticiasdecoimbra.pt

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE