Política

“Coimbra é a minha primeira e única escolha”, refere Rita Júdice

António Alves | 2 meses atrás em 24-02-2024

A candidata da Aliança Democrática (AD) pelo círculo eleitoral de Coimbra, Rita Alarcão Júdice, afirmou este sábado, 24 de fevereiro, que só aceitou o convite de Luís Montenegro porque “era Coimbra”. No discurso de apresentação da lista, a advogada fez questão de apontar as falhas do governo socialista nos últimos 8 anos a nível distrital e reconheceu que é hora de Coimbra voltar a ter um papel fundamental no futuro do país.

PUBLICIDADE

Com o pai José Miguel de Alarcão Júdice e o irmão Miguel Júdice na plateia, Rita Alarcão Júdice frisou que “Coimbra não é uma segunda escolha, não é um plano B ou um trampolim”. Por isso mesmo, decidiu desinstalar-se para, como ela disse, “dar o contributo para fazer melhor”.

Em relação aos 8 anos da governação socialista, a cabeça de lista da AD apontou as falhas desse período em áreas como a edução, justiça e juventude, entre outras. Tudo porque, como fez questão de frisar, “governou fechado em gabinetes geridos por ministros que não conhecem a realidade do país”.

PUBLICIDADE

“Há uns dias, num debate a candidata do Partido Socialista por Coimbra, que também foi ministra nos últimos anos dizia-me que “a política não é ouvir”. Pois a minha forma de ver a política é precisamente o oposto. A política é ouvir, sim. É ouvir as preocupações e os problemas de quem está à nossa volta”, afirmou.

Carregue na galeria e conheça os oradores da apresentação da lista da AD

PUBLICIDADE

Sobre o distrito de Coimbra, Rita Alarcão Júdice referiu que “foi completamente esquecido e deixado para trás pelo Governo socialista”. “Não podemos aceitar de braços cruzados o tanto que ficou por fazer…”, frisou.

A justiça, onde se assistiu à transferência do Tribunal Central Administrativo para Castelo Branco e as acessibilidade, onde a ligação “Coimbra Viseu, que avança ao fim de 20 anos, mas que deixa de fora a parte mais crítica do itinerário”, foram duas das áreas citadas.

Mas a cabeça de lista lembrou também a saúde, onde o cluster, a par do da Justiça e “numa interligação
profunda com a Universidade, tem de ser projetado e dignificado”.

“Vamos ajudar Coimbra a ser, cada vez mais, um hub de inovação e criação e não um hub de passagem”, referiu Rita Alarcão Júdice.

Veja o Direto Notícias de Coimbra com a candidata da AD

Na sessão, que serviu para apresentar os candidatos efetivos e suplentes da coligação, usaram ainda da palavra o mandatário da juventude, o ex-presidente da Direção-Geral da Associação Académica de Coimbra João Pedro Caseiro; os mandatários Manuel Rebanda e José Martins Nunes e o presidente da Comissão de Honra, Manuel Costa Andrade.

Os candidatos efetivos da AD são, para além de Rita Alarcão Júdice, os seguintes nomes: Maurício Marques, Martim Syder, Ana Oliveira, Gonçalo Capitão, Érica Castanheira, Paula Silva, Carlos de Figueiredo e Sandra Fidalgo.

Veja o Direto Notícias de Coimbra com a apresentação dos candidatos da AD

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE