Conecte-se connosco

Lazer

Coimbra cria prémio de fotografia em homenagem a Varela Pècurto

Publicado

em

A Câmara Municipal (CM) de Coimbra vai analisar e votar, na sua reunião da próxima segunda-feira, uma proposta de abertura de um procedimento com vista à elaboração de um regulamento para a criação de um concurso de fotografia que pretende homenagear Varela Pècurto. 

Com o objetivo de promover o património natural, arquitetónico e cultural do Município de Coimbra e sensibilizar os cidadãos para a sua observação e valorização, a autarquia vai promover o prémio de fotografia em homenagem a Varela Pècurto.

O concurso terá regulamento próprio que será analisado e votado na próxima reunião do executivo municipal, tendo o fotógrafo Varela Pècurto sido envolvido na proposta de regulamento. 

O Prémio Varela Pècurto | Concurso de Fotografia é de realização bienal, tendo como mote “Coimbra em perspetiva”, que visa enriquecer o acervo fotográfico do município com imagens inéditas que mostrem a cidade sob perspetivas e ângulos distintos, em enquadramentos e composições diferenciadas, que questionem e façam refletir sobre a sua realidade.

A proposta de regulamento define que podem participar todos os profissionais e amadores de fotografia, com idade igual ou superior a 18 anos, portugueses e estrangeiros residentes em Portugal. A participação é individual e gratuita.

O júri do concurso será constituído pelo presidente da CM Coimbra, com voto de qualidade em caso de empate; dois profissionais com conhecimentos na área da fotografia, um da CM Coimbra e outro externo; e um representante do Centro de Artes Visuais.

Os prémios a atribuir em cada edição serão preveem a atribuição de um valor pecuniário de três mil euros ao autor da fotografia vencedora. Ao autor da fotografia distinguida com o segundo prémio será atribuído um valor pecuniário de dois mil euros; ao terceiro prémio mil euros; e ao autor da fotografia distinguida com a menção honrosa será atribuído um certificado de participação.

Cada participante pode apresentar até um máximo de cinco fotografias, a preto e branco ou a cor, entregues em formato digital; ficheiro TIFF sem compressão, dimensões de saída 30×40 cm a 300 DPI. Cada fotografia deve ser inédita, não ter sido submetida a outro concurso de fotografia e enquadrar-se no tema e objetivos do concurso.

Não serão aceites fotografias manipuladas digitalmente, que incluam molduras, assinaturas, datas ou outros dados ou efeitos sobre a imagem. No entanto, será possível fazer ajustes, como por exemplo brilho, saturação, contraste, nitidez ou reenquadramentos. Em caso de dúvida o júri poderá solicitar aos vencedores que disponibilizem as imagens originais. Os participantes devem assegurar que as imagens não contêm pessoas reconhecíveis ou lugares privados e, caso possuam, devem garantir as autorizações necessárias para a utilização das fotografias pelo Município de Coimbra.

Este prémio pretende homenagear o fotógrafo Eduardo Francisco Varela Pécurto. Nascido em Ervedal do Alentejo, concelho de Avis, a 27 de abril de 1925, fez o Liceu em Évora, onde se iniciou na arte da fotografia, trabalhou para a casa Nazareth & Freitas e posteriormente com Eduardo Nogueira. 

Veio para Coimbra em 1950, tendo dirigido a secção fotográfica da Livraria Atlântida e depois a Hilda como sócio-gerente, até à sua reforma. Foi sócio fundador do Câmara de Coimbra e participou em dezenas de concursos nacionais e internacionais. Foi foto-repórter e operador correspondente da Rádio Televisão Portuguesa (RTP) na região centro durante 25 anos.

Desde 1949, que participou em dezenas de concursos nacionais e internacionais. Em 1954, por decisão do Congresso de Barcelona da Féderation Internationale d’Art Photographique (FIAP), recebe o prémio Excellence (um dos mais importantes prémios atribuídos internacionalmente no âmbito da fotografia amadora de salão), em homenagem aos seus trabalhos e técnica no domínio da arte fotográfica. Foi operador-correspondente da RTP em Coimbra, colaborador de imprensa e de publicações de arte e turismo. É autor dos livros Penacova e Ervedal. Desenvolveu, ao longo de décadas, um importante levantamento patrimonial, objeto de publicações diversas. Em 2008 doou uma das suas coleções, sobre a temática ferroviária, à Fundação Museu Nacional Ferroviário.

Em 2005, recebeu a Medalha de Mérito Cultural da CM Coimbra e um diploma de honra do Clube da Comunicação Social de Coimbra pelo serviço prestado à cidade, clube esse que, em 2018, o nomeou presidente honorário. Encontra-se representado no Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado com 15 fotografias.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link