Conecte-se connosco

Coimbra

Coimbra comemora Dia Internacional do Livro Infantil

Publicado

em

 

A Câmara Municipal de Coimbra (CMC) comemora no próximo sábado,1 de abril, o Dia Internacional do Livro Infantil, antecipando, assim, a efeméride celebrada a 2 de abril, data que assinala o aniversário do nascimento do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen (n. 2-4-1805, m. 4-8-1875), autor de histórias que continuam a encantar as crianças de todo o mundo econsiderado, por muitos, o pai da literatura infanto-juvenil.

unnamed (36)

Para assinalar o Dia Internacional do Livro Infantil a CMC organiza, na Biblioteca Infantil / Ludoteca, a partir das 11h30 do próximo sábado, uma hora do conto – histórias em tapetes – dirigida a crianças dos 3 aos 5 anos.

No período da tarde, a partir das 16h00, crianças entre os 4 e os 8 anos poderão participar numa sessão, também aberta às famílias,intitulada Yoga entre Histórias, dinamizada por Cláudia Praça, a partir das obrasinfantis “O Leão que Perdeu a Juba”, “A Lagartinha que tinha um sonho” e da sua mais recente publicação – “O Crocodilo que afinal era um jacaré”.

unnamed (35)

Num tributo ao dinamarquês que escreveu uma centena e meia de contos para crianças, traduzidos em todo o mundo, estará patente, de 30 de março a 20 de abril, a exposição intitulada “O patinho feio e outras histórias de Hans Christian Andersen”, no Espaço Ferrer Correia (piso -1 da Casa Municipal da Cultura, no acesso à Biblioteca Infantil/Ludoteca).

A mostra destaca alguns aspetos da vida e obra do escritor, desde as suas mais célebres histórias, de que são exemplo “A Polegarzinha”, “A Princesa e a Ervilha”, “O Soldadinho de Chumbo”, “A Pequena Sereia” ou o “Patinho Feio”, àobra do artista, visível nos recortes,de traços meticulosos, que ele próprio construía, com um par de tesouras e um pedaço de papel dobrado, que ia recortando e rodando, formando padrões, silhuetas, paisagens ou personagens, que engrandeciam as histórias improvisadas que contava às crianças. Quando Andersen começava a rodar os pedaços de papel colorido à volta das pontas das suas tesouras, nenhuma das crianças sabia o que iria acontecer, o que suscitava a admiração e uma sensação de pura magia aos olhos dos mais pequenos…

unnamed (37)

A presença do escritor no mundo, através das sucessivas representações artísticas e homenagens públicas de que Andersen foi sendo alvo ou o museu a que dá nome, na Dinamarca, são alguns dos aspetos visados na pequena mostra, que pode ser visitada com o acompanhamento sonoro da narração doseu conto “O Rouxinol”.

Refira-se que, da passagem por Portugal, de resto, mencionada no seu livro “Uma visita a Portugal em 1866”, Hans Christian Andersen dedica algumas páginas à sua estadia na cidade de Coimbra descrevendo-a como “…um ramo de esplendorosas flores…”.

A participação em ambas as iniciativas é gratuita, ainda que sujeita a inscrição (presencial, através do e-mail [email protected] ou via telefone 239 702 630 – Casa Municipal da Cultura).

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com