Conecte-se connosco

Autárquicas

Coimbra: Candidato do Chega diz que anúncio de maternidade é “propaganda eleitoral”

Publicado

em

O cabeça de lista do Chega à Câmara de Coimbra, Miguel Ângelo Marques, considerou hoje que o anúncio do primeiro-ministro relativamente à nova maternidade é “propaganda eleitoral” e salientou que o concelho está “cheio de anúncios por cumprir”.

O candidato considerou que o anúncio feito pelo primeiro-ministro, António Costa, na noite de quarta-feira, é “mera propaganda eleitoral”, numa tentativa de o líder do Governo ajudar o presidente da Câmara, Manuel Machado (PS), a conquistar um terceiro mandato consecutivo à frente do município.

“É mais um anúncio. Já estamos cheios de anúncios que estão por cumprir. Temos o metro, temos o aeroporto”, referiu Miguel Ângelo Marques, salientando que a discussão em torno de uma nova maternidade para Coimbra também já tem alguns anos.

Na quarta-feira, num comício em Coimbra, António Costa prometeu que estará para breve a resolução dos problemas que têm impedido a construção da nova maternidade do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC).

“Vejo o doutor Manuel Machado como marioneta de António Costa. Foi a sensação que tive, que afinal nem é a própria Câmara que manda em Coimbra, é Lisboa”, comentou o candidato do Chega.

Questionado pela agência Lusa sobre se defende a criação da maternidade no Hospital dos Covões ou junto aos Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC), Miguel Ângelo Marques disse que não quer a nova infraestrutura “nem num lado nem no outro”, sem no entanto indicar o local onde esta deveria ser construída.

“A população de Coimbra, os intervenientes, o próprio hospital é que se deveriam pronunciar, porque eles sabem as dificuldades que têm e o que dá a entender é que as coisas são tomadas ao nível da secretaria, sem pés nem cabeça e sem consulta pública”, referiu.

Já sobre a transferência do Tribunal Constitucional para Coimbra, o candidato afirmou que defende a sua mudança, assim como a de outros organismos públicos para outras “capitais de distrito”.

“Em relação ao Tribunal Constitucional vir para aqui concordo, independentemente do que o meu partido venha a votar. É uma instituição de peso, que vai trazer gente e necessidades para Coimbra”, realçou, considerando que “estar ao lado das populações” é também “não estar refém dos partidos e das suas sedes em Lisboa”.

Para além de Miguel Ângelo Marques, concorrem às eleições de dia 26 o atual presidente da Câmara de Coimbra, Manuel Machado (PS), José Manuel Silva (Juntos Somos Coimbra – PSD/CDS-PP/Nós, Cidadãos!/PPM/Volt/RIR /Aliança), Francisco Queirós (CDU), Gouveia Monteiro (Cidadãos por Coimbra), Filipe Reis (PAN), Inês Tafula (PDR/MPT) e Tiago Meireles Ribeiro (Iniciativa Liberal).

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade