Saúde

Coimbra aposta na investigação sobre estimulação eletromagnética

Notícias de Coimbra | 2 meses atrás em 02-03-2024

O Instituto de Ciências Nucleares Aplicadas à Saúde (ICNAS) da Universidade de Coimbra (UC) e o Centro de Responsabilidade Integrado (CRI) de Psiquiatria, Unidade de Neuromodulação, da Unidade Local de Saúde de Coimbra (ULS Coimbra), assinaram esta quinta-feira, nas instalações do Serviço de Psiquiatria da ULS Coimbra (em Celas, Coimbra), um protocolo para a colaboração das duas instituições na investigação em neuroimagem funcional e clínica e no tratamento de doentes recorrendo à estimulação eletromagnética transcraniana.

PUBLICIDADE

“A estimulação magnética transcraniana é um dos principais métodos físicos não invasivos, baseado na geração de um campo eletromagnético para modulação da resposta neuronal de determinada área cerebral, que tem sido utilizado nas últimas décadas”, explica Horácio Firmino, Diretor do CRI de Psiquiatria da ULS Coimbra, acrescentando: “é utilizada na Depressão, Esquizofrenia, Perturbação Obsessivo-Compulsiva, Dor crónica, Perturbação de Stress Pós-Traumático, Perturbação de Tiques, entre outras”.

“Sendo o ICNAS uma unidade de investigação da Universidade de Coimbra, com caráter multidisciplinar, que faz investigação científica e clínica de topo no âmbito das tecnologias nucleares aplicadas à saúde, e a ULS Coimbra uma instituição de referência a nível nacional e internacional, que se pauta pela inovação e por elevados padrões de diferenciação e qualidade clínica, técnica e científica, faz todo o sentido promover a colaboração entre as duas instituições”, frisa Horácio Firmino. “Acreditamos que esta parceria vai dar frutos muito importantes, tanto para a comunidade científica e académica, como para os nossos doentes, com quem temos o primeiro de todos os nossos compromissos”, conclui.

PUBLICIDADE

publicidade

O protocolo prevê a colaboração entre as duas instituições em duas vertentes: a vertente de tratamento, designadamente recorrendo à estimulação eletromagnética transcraniana a doentes acompanhados na Unidade da Neuromodulação; e a vertente de investigação, nomeadamente na área da neuroimagem funcional e clínica (investigação dos outcomes terapêuticos da neuromodulação). Os doentes participantes na vertente de investigação e/ou de tratamento serão selecionados pela Unidade da Neuromodulação, entre os doentes acompanhados na Unidade que reúnam as condições para participar na investigação e/ou tratamento. A previsão anual de tratamento de doentes com neuroestimulação será incrementada com este protocolo, abrangendo cerca de 100 doentes. 

“Este protocolo vem reforçar o empenho da Unidade de Investigação CIBIT (Coimbra Institute for Biomedical Imaging and Translational Research) e do ICNAS em fazerem a translação da investigação para a aplicação clínica em concertação com a ULS Coimbra” explica Miguel Castelo-Branco, Vice-Diretor do ICNAS.

PUBLICIDADE

O Presidente da ULS de Coimbra, Alexandre Lourenço, destacou a “grande importância de investir na área da saúde mental, no contexto do perfil de saúde da população servida”, frisando ainda a importância da “parceria científica com o ICNAS”.

Related Images:

PUBLICIDADE

publicidade

PUBLICIDADE