Conecte-se connosco

Autárquicas

Cidadãos por Coimbra querem dar mais atenção às zonas rurais do concelho

Publicado

em

O movimento independente Cidadãos por Coimbra (CpC) defendeu hoje que o município tem de dar mais atenção às zonas rurais do concelho, seja no apoio ao setor agrícola, na requalificação de património histórico ou no reforço de transportes coletivos.

“Estamos aqui hoje para destacar a importância da agricultura e do mundo rural no município de Coimbra, que é um tema às vezes menos falado nas campanhas eleitorais, mas muito importante”, afirmou o cabeça de lista do CpC à Câmara de Coimbra, Jorge Gouveia Monteiro, que falava à agência Lusa numa ação de campanha em São João do Campo.

O candidato notou que há “uma realidade rural profunda”, seja nos campos do Mondego, seja nas zonas vinhateiras a norte e sul do concelho ou os viveiros em Ceira e Almalaguês.

Para o antigo vereador eleito pela CDU, o mundo rural “é muito pouco destacado”, sendo necessária uma efetiva descentralização de meios para as freguesias.

Apoios na execução de caminhos florestais e limpezas, aquisição de destroçadores de matos para prevenir queimadas, assegurar transportes coletivos em zonas rurais e uma atitude “vigilante” do município face ao risco de cheias no Mondego são algumas das propostas do movimento, elencou.

Segundo Jorge Gouveia Monteiro, outra questão fundamental para o CpC passa pela defesa e preservação de “património edificado muito valioso em muitas das freguesias”, apontando para o caso da antiga casa da família do escritor e político Jaime Cortesão, situada em São João do Campo, que está degradada.

“Está a atingir um limiar de ruína que pode deitar tudo a perder. É agora que se deve comprar e reabilitar e discutir com a população e a junta de freguesia o tipo de uso”, afirmou.

O candidato sublinhou que Jaime Cortesão, que foi perseguido durante o Estado Novo, “é homenageado em Ançã [Cantanhede] e é ignorado por Coimbra”.

“É uma aberração de ignorância, de falta de cultura de quem exerce o poder político em Coimbra”, notou.

A arqueóloga e número dois da lista do CpC à Câmara de Coimbra, Sónia Filipe, salientou que há vários espaços importantes para a memória coletiva de Coimbra e das suas comunidades que estão em ruína ou em pré-ruína, constatando que a requalificação de edifícios históricos fora da malha urbana tem sido descurada pelo município.

“Urge que estas medidas não se fiquem pelo espaço urbano onde tradicionalmente têm a tentação de ficarem, mas que se difundam em redes. A missão e a obrigação do município não se extinguem na cidade”, sustentou.

Os candidatos à Câmara de Coimbra são o atual presidente do município, Manuel Machado (PS), José Manuel Silva (coligação Juntos Somos Coimbra – PSD/CDS-PP/Nós, Cidadãos!/PPM/Volt/RIR /Aliança), Francisco Queirós (CDU), Gouveia Monteiro (Cidadãos por Coimbra), Miguel Ângelo Marques (Chega), Filipe Reis (PAN), Inês Tafula (coligação Coimbra é Capital – PDR/MPT) e Tiago Meireles Ribeiro (Iniciativa Liberal).

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade