Mundo

Chile declara recolher obrigatório no centro do país devido a incêndios florestais

Notícias de Coimbra com Lusa | 1 ano atrás em 09-02-2023

O Governo do Chile declarou, a partir de hoje, o recolher obrigatório nas regiões de Biobío, Ñuble e La Araucanía (centro) devido à onda de incêndios florestais que já causou 24 mortos.

PUBLICIDADE

A medida foi decidida após uma reunião entre as autoridades e os chefes da proteção civil de cada região e visa “garantir a segurança das famílias afetadas pela emergência”, disse o Presidente chileno.

PUBLICIDADE

Em declarações à imprensa, Gabriel Boric disse que a medida foi discutida numa “importante região com os comandantes em chefe dos três ramos das Forças Armadas e o chefe do Estado-Maior Conjunto”.

PUBLICIDADE

publicidade

“Estivemos a conversar, medimos os prós e os contras, e são os chefes da proteção civil que vão determinar, concretamente, em que províncias e em que horários”, acrescentou o governante.

Boric anunciou ainda a aprovação de um decreto para requisição de ferramentas, máquinas e até água para responder aos incêndios.

PUBLICIDADE

“Não estamos aqui para tirar fotos, mas para trabalhar e, nesse sentido, temos todo o Governo, as suas autoridades e temos as autoridades comunais e regionais a trabalhar em conjunto”, sublinhou o Presidente.

O Chile continua a viver um período de altas temperaturas, com alertas vermelhos nas regiões de Biobío, Ñuble e La Araucanía (centro), bem como em vários locais das regiões de Maule, Los Ríos e Los Lagos (sul).

Centenas de militares estão a trabalham no combate aos incêndios, contando ainda com a colaboração de pessoal e equipamento vindo de outros países da América Latina e de fora da região.

O Governo do Brasil anunciou na quarta-feira que vai enviar ajuda humanitária para o Chile, devido aos incêndios florestais que afetam o país.

Para o Chile, o Presidente brasileiro, Lula da Silva, autorizou o envio de uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) equipada para o combate aos incêndios, e correspondente equipa, além de veículos, equipamentos e materiais, de acordo com um comunicado da presidência.

Este contingente irá reforçar a ação de 60 socorristas disponibilizados pelos ministérios da Justiça e Segurança Pública (MJSP) e do Meio Ambiente e Mudança do Clima (MMA). O Governo brasileiro vai disponibilizar ainda seis especialistas “em comportamento do fogo”.

Também na quarta-feira, o ministro dos Negócios Estrangeiros, João Gomes Cravinho, anunciou que uma missão portuguesa irá partir na sexta-feira para ajudar no combate aos fogos florestais no Chile.

Os quase 300 incêndios florestais que afetaram o centro e o sul do Chile causaram pelo menos 24 mortes, queimaram quase 300 mil hectares e destruíram 1.100 casas, deixando três mil pessoas deslocadas.

Related Images:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com