Conecte-se connosco

Política

CDU quer “reverter a fusão dos hospitais de Coimbra” (com vídeo)

Publicado

em

Manuel Rocha, cabeça de lista da CDU que concorre às Eleições Legislativas pelo círculo de Coimbra, garante que se vai bater “pela reversão da fusão dos hospitais de Coimbra”. Em entrevista ao Notícias de Coimbra, no Convento São Francisco, o candidato falou da “desmontagem do Serviço Nacional de Saúde” e defendeu “mais dignidade” para as famílias. 

“Temos vindo a ser fustigados por medidas políticas objetivas, inteligentes, de desmontagem do Serviço Nacional de Saúde (SNS)”, disse Manuel Rocha para quem “Coimbra é o sítio onde isso está mais à vista”.

“A desmontagem dos Covões como hospital de excelência é uma realidade”, sublinha o também deputado da Assembleia Municipal de Coimbra e da Assembleia Intermunicipal da Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra, que acredita que a nova maternidade deveria ficar no perímetro do Hospital Geral.

O cabeça de lista da CDU considera que “não deve haver um sistema de saúde mas um serviço de saúde” e que “o meio público e meio privado” não é solução. “A desmontagem do SNS na nossa região tem vindo a ser substituída pela montagem brutal ao nível das instituições hospitalares privadas”, argumenta. “Com a pandemia, os Covões, que já estava encerrado e em estado comatoso, foi reaberto pois havia um problema que era preciso resolver porque os privados fecharam as portinhas porque aquilo não lhes dava lucro”, criticou.

Na mira de Manuel Rocha esteve também Marta Temido. A Ministra da Saúde, eleita por Coimbra como deputada do PS, “não sabe dizer quais foram os benefícios da fusão”, referiu.

O candidato adverte que “estas eleições não são para votar num primeiro-ministro, mas sim em vários deputados que irão representar a população portuguesa e no caso de Coimbra a região”. O partido que não tem nenhum deputado eleito por Coimbra na Assembleia da República fala da falta de várias vozes.

“Ser pobre e ter grandes necessidades não é uma partida do destino. Portugal é um país rico, tem recursos para viver melhor e que as pessoas tem o direito de lutar pelos seus direitos e de confiar em que o faça por elas”, afiança, focando que “os salários são o ponto essencial de desenvolvimento do país” e “não um custo, mas um investimento”.

Veja a entrevista NDC, gravada em direto, ao candidato da CDU Manuel Rocha:

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
close-link
close-link